Vítor Félix elogia maior comitiva da canoagem nos Jogos Olímpicos e insiste em medalhas

Presidente da federação exultou com o apuramento de Joana Vasconcelos

• Foto: Fernando Ferreira

O presidente da Federação Portuguesa de Canoagem, Vitor Félix, exultou esta sexta-feira com o apuramento de Joana Vasconcelos para Tóquio'2020, que permite à modalidade igualar a maior comitiva de sempre em Jogos Olímpicos, reforçando o objetivo da conquista de medalhas.

"Estes sete atletas vão lutar primeiro pela final e depois pelos resultados que as suas embarcações deram mostras, com o pódio, ou muito próximo, ou as finais... e aí tudo é possível. Não escondemos -- e é público -- que nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos vamos estar na luta pelo pódio, o nosso objetivo é a conquistar duas medalhas entre estes dois eventos", disse à Lusa, referindo os sete competidores em regatas em linha e um no slalom.

Fernando Pimenta, que desde o Rio2016 não falha um pódio em K1 1.000 metros e já leva 102 medalhas em provas internacionais, em diversas tripulações, é o principal trunfo da federação no Japão.

Emanuel Silva, vice-campeão olímpico com Pimenta em Londres2012 no K2 1.000, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela levaram o K4 500 a 15 centésimos de segundo do bronze nos Mundiais de 2019 e, na semana passada, na Taça do Mundo, ficaram somente a quatro centésimos do terceiro posto.

Depois há a experiente Teresa Portela, com três medalhas de bronze europeias em K1 200 e Joana Vasconcelos, candidata a finalista em K1 500. Antoine Launay tentará surpreender no slalom.

"Sabemos apenas que quando se trata de participação olímpica a fasquia da canoagem é muito elevada desde a medalha em Londres2012. As expectativas dos portugueses, da administração pública, do Comité Olímpico de Portugal são muito elevadas. Não sei se não estaremos perante a melhor geração de sempre da modalidade", elogiou.

Vítor Félix entende que até ao momento está tudo a correr "dentro das expectativas" e espera que a canoagem "corresponda" com as mesmas, pois entende que "este grupo de atletas e de treinadores merece muito que a canoagem regresse às medalhas em Tóquio".

O dirigente deixou o elogio à "excelente atleta" Joana Vasconcelos, que hoje se juntou à equipa, depois de vencer a prova na Sibéria, agradecendo o apoio e confiança do Comité Olímpico de Portugal no projeto que visava apoiar a canoísta que tinha falhado o Rio2016, depois de ter sido sexta em K2 e K4 500 em Londres2012.

Com este êxito, Portugal vai levar a Tóquio2020 sete competidores nas regatas em linha e um no slalom, igualando os oito participantes em Barcelona1992 e Rio2016, enquanto Norberto Mourão (VL2) e Alex Santos (KL1) vão protagonizar a estreia da canoagem adaptada nos Jogos Paralímpicos.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Canoagem

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.