Bradley Wiggins: «Já não há papel higiénico nem paracetamol»

O ex-ciclista teme que os efeitos do coronavírus sejam devastadores

• Foto: Reuters

Bradley Wiggins teme que os efeitos do coronavírus sejam devastadores para os ciclistas mesmo depois de o surto estar mais controlado e mostra-se surpreso com o que se está a passar.

"A crise intensifica-se todos os dias e chegou a um ponto em que tiveram de cancelar a última etapa do Paris-Nice. Parecia estranho, que com a grande propagação do vírus em Itália, ocorresse uma prova ali tão perto em Nice. E já não há papel higiénico nem paracetamol", refere, mostrando surpresa por a prova se ter realizado.

Bradley Wiggins refere que as consequências serão devastadoras.

"Se uma prova como o Tour não se realizar será um duro golpe para os ciclistas tendo em conta a quantidade de trabalho que já realizaram. É o seu meio de vida. Continuamos a dizer que é só desporto mas para estes rapazes, com as implicações financeiras dos patrocinadores e equipas, isto pode ser devastador para eles", referiu io antigo ciclista e vencedor da Volta a França.

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Ciclismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.