Equipa italiana Vini Zabù suspensa até 6 de maio devido a dois casos de doping

Episódios com ciclistas Matteo De Bonis e Matteo Spreafico na base da decisão da UCI

• Foto: Twitter/Vini Zabù Pro Cycling Team

A equipa italiana Vini Zabù foi esta segunda-feira suspensa por 30 dias pela União Ciclista Internacional (UCI), na sequência dos dois casos de doping entre os seus corredores detetados nos últimos meses.

A suspensão da equipa do segundo escalão do ciclismo mundial tem efeitos retroativos, vigorando de 7 de abril até 6 de maio, dois dias antes do arranque da Volta a Itália, à qual a formação italiana renunciou, num autodenominado gesto de "amor ao ciclismo".

As regras antidoping da UCI determinam a suspensão de uma equipa sempre que dois dos seus corredores tenham sido notificados de "um resultado analítico adverso" em amostras recolhidas durante o mesmo período de 12 meses.

Matteo De Bonis testou positivo por EPO em duas amostras recolhidas em fevereiro fora de competição, meses depois de Matteo Spreafico ter tido dois controlos positivos durante o Giro, em outubro de 2020.

Em 2 de abril, a equipa italiana tinha decidido suspender por iniciativa própria a atividade e, 13 dias depois, anunciou a retirada da Volta a Itália em bicicleta, para a qual tinha recebido um convite, tendo sido substituída pela Androni Giocattoli Sidermec.

"A nossa opção de não participar no Giro pretende evidenciar que a ação de um só atleta pode provocar um efeito devastador naqueles que se esforçam ao máximo para deixar os ciclistas correrem. [...] A nossa retirada da mais importante prova para os ciclistas italianos é um ato de amor ao ciclismo", justificaram então os italianos.

Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Ciclismo

Notícias

Notícias Mais Vistas