Movimento por um ciclismo credível pede demissão de líder da Agência antidoping

Craing Reedir alvo de várias críticas

• Foto: Filipe Farinha

O movimento por um ciclismo credível (MPCC) pediu esta quarta-feira a demissão do presidente da Agência Mundial Antidopagem (AMA), Craing Reedir, acusado de ser responsável de uma situação que "descredibiliza o conjunto do mundo desportivo".

Em carta aberta, a assembleia-geral do MPCC aponta várias insuficiências a Craing Reedir, entre as quais a de não incluir o Tramadol na lista de substâncias proibidas, apesar dos pedidos nesse sentido de várias organizações desportivas.

"O MPCC defende a proibição desta substância por razões éticas, mas também em virtude da saúde e segurança dos atletas. Deixar as coisas como estão, ameaça a saúde dos nossos atletas", defendem.

O organismo, criado em 2007, deplora ainda a decisão da AMA de levantar a suspensão à Agência Russa Antidopagem (RUSADA), que tinha sido punida pela participação num esquema de doping institucional, praticado entre 2011 e 2015.

O antigo diretor do laboratório de Moscovo Grigory Rodchenkov, um dos principais denunciantes do esquema de dopagem institucionalizado na Rússia, com conhecimento e apoio estatal, qualificou então a decisão da AMA como "a maior traição jamais feita contra a história olímpica e os atletas honestos".

O MPCC lembra que as duas condições importas para o levantamento da suspensão -- o reconhecimento das conclusões do relatório McLaren e o acesso aos laboratórios anti-doping --, estão ambas por cumprir.

Além disso, o MPCC põe em causa a forma como a AMA lidou com o caso de doping envolvendo Chris Froome - o ciclista britânico quatro vezes vencedor da Volta à França, testou positivo, numa análise, à substância salbutamol, um broncodilatador.

"Tratou-se de um fiasco para a AMA (...) colocando a AMA em contradição com as suas próprias regras, lançando o descrédito sobre a luta anti-doping", escrevem.

"O MPCC apela a que se retirem consequências de uma situação que descredibiliza o conjunto do mundo desportivo e põe em causa o fundamento das regras internacionais, pedindo a demissão do presidente da AMA", assinalam.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Ciclismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.