Rui Oliveira exulta com o bronze: «Isto é incrível»

Jovem ciclista deu a Portugal a primeira medalha de elites em pista

• Foto: Roberto Bettini

Ao ser terceiro classificado na prova de eliminação do Campeonato da Europa, Rui Oliveira fez história ao conquistar a primeira medalha de sempre de Portugal no ciclismo de pista em provas de elite. Um feito que o jovem corredor de 21 anos não deixou de assinalar com enorme satisfação, num momento em que nem está na sua melhor forma

"Esta medalha tem um sabor igual ou ainda melhor do que a de ouro, em julho. Passei um mau período, física e psicologicamente, mas as palavras de ânimo dos meus pais, familiares e amigos permitiram-me ir ganhando confiança e vontade de trabalhar. O resultado foi esta medalha de bronze. Isto é incrível", lembrou Rui Oliveira em declarações divulgadas pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

Numa competição que está a decorrer em Berlim, a corrida foi ganha pelo belga Gerben Thijssen, seguido pelo russo Maksim Piskunov, que subiram ao pódio acompanhados por Rui Oliveira. O jovem gaiense juntou, assim, o bronze em elite ao ouro em sub-23, uma vez que, em julho, conquistara o título europeu desta categoria, em Sangalhos.

Em declarações à Agência Lusa, Rui Oliveira assumiu que as inoportunas lesões que sofreu nas últimas duas temporadas o 'derrubaram' animicamente. "Já no ano passado estive a época toda parado, por ter partido uma perna, e este ano já tive múltiplas fraturas, que me 'pararam' quando eu estava bem. Nunca conseguia demonstrar o que valia. Não estava nas melhores condições aqui, mas as coisas saíram bem. É fantástico. Nunca pensei, ao vir para aqui, conseguir uma medalha", destacou. 

"Mas isto vale como um ouro para mim", asseverou o gaiense de 21 anos, contando que, quando viu confirmado o seu terceiro lugar, "muita coisa" lhe passou pela cabeça. "À medida que a corrida foi avançando, eu sabia que estava bem, estava a sentir-me muito bem, a respirar, de pernas. Quando já só estavam seis ou sete atletas, vi que era possível e, então, utilizei a tática que usei no Europeu de sub-23, que era quando já só faltassem três ou quatro elementos, tentar atacar e fazer a diferença e garantir aí que trazia a medalha. Por acaso, saiu perfeitamente. Poderia ter saído melhor, se os outros dois não tivessem vindo, mas já foi muito bom", concluiu.

João Matias foi o outro ciclista português em pista nesta sexta-feira. O minhoto conseguiu apurar-se para o concurso de omnium, ficando entre os 20 finalistas. Começou a derradeira das quatro provas pontuáveis para o omnium no nono lugar, mas não logrou segurar o top 10 nas últimas pedaladas, ficando na 13.ª posição. O título europeu foi conquistado pelo espanhol Albert Torres.

A delegação português tem ainda expectativas de conseguir bons resultados nas provas deste sábado, nomeadamente através de Ivo Oliveira - irmão gémeo de Rui Oliveira -, que tem nas pernas a missão de tentar apurar-se para uma das finais de perseguição individual. O apuramento começa às 14h00 e os quatro mais rápidos transitam para a fase seguinte, marcada para pouco depois das 19h00. César Martingil compete na final direta de corrida por pontos, às 17h00.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Ciclismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0