Chris Froome: «Não tive pernas no final»

Perdeu a camisola amarela para Fabio Aru

• Foto: Reuters

Chris Froome (Sky) evitou esta quinta-feira polémicas, depois de ter perdido a camisola amarela para Fabio Aru (Astana) na 12.ª etapa da Volta a França em bicicleta, limitando-se a reconhecer que não teve pernas.

"Era uma chegada muito, muito dura. Não tive pernas no final, mas ainda falta muita corrida. Há que felicitar o [Romain] Bardet, que mereceu ganhar a etapa e conseguiu uma vitória muito bonita, e também o Fabio Aru, por ter conquistado a amarela", começou por dizer o tricampeão do Tour (2013, 2015 e 2016).

Froome não se pronunciou sobre o facto de ter sido 'abandonado' por Mikel Landa, o colega que o deveria ter escoltado até à meta, mas que partiu em busca do triunfo na etapa, admitindo apenas que passou por momentos difíceis.

"Não vou encontrar desculpas. Simplesmente, não tive pernas. Agora a geral ficou muito apertada e vamos ter uma luta renhida até Paris", concluiu.

Também Nicolas Portal, diretor da Sky, defendeu que Froome perdeu a amarela para Aru, porque não teve pernas no final, mas considerou que os seis segundos de desvantagem do britânico não são um problema grave.

"Nos últimos quilómetros, toda a gente estava bem, mas no momento em que os ataques começaram faltou-lhe algo. Não sei se comeu bem ou não, mas ganhou o melhor. O plano que tínhamos era o de atacar no final, perto da meta, já que queríamos as bonificações, mas atacaram-nos e não conseguimos responder. Derrotaram-nos e nada mais", disse o responsável da formação britânica.

Portal, que foi filmado a discutir com Landa no final da etapa, assegurou não estar zangado com o espanhol por este ter deixado o seu líder sozinho.

"Não me chateei com o Landa por não esperar por Froome. Foi um final muito complicado, com muitos ataques e também não se pode esperar a 300 metros da meta. Sempre que fazemos algo um pouco diferente as pessoas veem problemas", argumentou.

Por seu lado, Landa justificou que, como estava a lutar pela etapa, na qual foi quarto a cinco segundos do francês da AG2R-La Mondiale, não se lembrou de olhar para trás.

"Estava muito bem e se tivesse tido a oportunidade de disputar a etapa, poderia ter vencido", pontuou, considerando que não é um drama ter perdido a amarela.

Cumpridas 12 etapas, o italiano Fabio Aru (Astana) lidera a 104.ª Volta a França, com seis segundos de vantagem sobre Froome e 25 sobre Bardet.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Tour

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.