Joaquim Gomes diz que fim de etapa na Torre não retira mística

Diretor diz que a mística continua lá

• Foto: Fernando Ferreira

O diretor da Volta a Portugal, Joaquim Gomes, considerou esta quinta-feira que o fim da etapa na Torre não retira mística à 78.ª Volta a Portugal, que arranca a 27 de julho e termina a 7 de agosto, em Lisboa.

A etapa 'rainha' da Volta a Portugal, cuja edição de 2016 foi apresentada hoje em conferência de imprensa, na Guarda, será realizada no dia 3 de agosto e terá duas passagens pelo alto da Torre, mas acabará naquela cidade, depois de 173,7 quilómetros de "sobe e desce" a partir de Belmonte.

Apresentada pela organização como a tirada 'rainha' da 78.ª edição, a sexta etapa não terá final no ponto mais alto de Portugal continental (1.993 metros), algo que acontece pela primeira vez desde 2006, mas sim na Guarda.

Joaquim Gomes disse aos jornalistas que o desaparecimento da etapa na torre - que também acontecerá em 2017 - não retira importância à prova.

"A mística está lá. Vamos ter, com certeza, muito público, até porque [as pessoas] vão ver passar os ciclistas duas vezes" no ponto mais alto da Serra da Estrela, afirmou.

O diretor da prova referiu ainda que, com a alteração introduzida este ano, as pessoas que se deslocarem à Serra da Estrela "vão ver a passagem na Torre e ainda têm tempo de ver a final na Guarda".

O responsável considera que a etapa 'rainha' se identifica "em pleno" com a "fantástica região da Serra da Estrela" e é "uma das mais exigentes etapas que alguma vez se colocou na estrada na Volta a Portugal".

A decisão de suprimir a etapa na Torre está também relacionada com as condições climatéricas adversas que por vezes se verificam (nevoeiro) e com imprevisibilidades originadas pelos incêndios florestais.

Na sexta etapa, o pelotão vai partir de Belmonte rumo à Covilhã e à duríssima vertente das Penhas da Saúde, por onde vai escalar pela primeira vez à contagem de categoria especial instalada na Torre, ao quilómetro 44,7.

Inclui ainda passagens, entre outros locais, por Seia, Manteigas, pela Albufeira da Barragem do Caldeirão e terminará na cidade da Guarda, no largo General Humberto Delgado.

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, destacou a vertente rural do percurso que a etapa terá no seu concelho, com passagem pelas freguesias de Valhelhas, Famalicão da Serra, Fernão Joanes, Meios, Trinta, Corujeira e Maçainhas.

"Vai andar pelo verdadeiro meio rural. Faz jus à popularidade do desporto", afirmou o autarca que considera a volta como um contributo para "a valorização do território" do seu município.

O autarca de Belmonte, António Rocha, disse ter um "orgulho muito grande" por a etapa "rainha" começar no seu concelho.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Volta a Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.