Jorge Piedade: «Todos pensávamos que a Volta ia para a estrada»

Diretor da Aviludo-Louletano assume surpresa pela decisão

O adiamento da Volta a Portugal, esta quinta-feira anunciado, foi "uma surpresa muito grande" que pode fazer "sofrer bastante" a modalidade no país, disse à Lusa o diretor da Aviludo-Louletano, Jorge Piedade.

"Foi uma situação inesperada, todos pensávamos que a Volta ia para a estrada. É uma surpresa muito grande. Não ter Volta neste momento... as equipas de alguma forma estão a tentar salvar o ciclismo ao aguentar-se. Não está fácil, a nível de patrocínios", confessa o diretor desportivo.

Para Jorge Piedade, a esperança agora é o "plano B, que tem de conseguir, de alguma forma, fazer a Volta mais tarde", porque este "setor profissional, como o futebol", vai "sofrer bastante". "Não sabemos como reagirão os patrocinadores, mas dificilmente algumas equipas conseguirão sobreviver a esta fase tão complicada", atirou.

O líder da equipa algarvia pede ainda à Federação Portuguesa de Ciclismo que tenha "alguma atitude em relação à Volta", além da organização, a cargo da Podium, e mantém "alguma esperança que se possa realizar".

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Volta a Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.