Luta pela Amarela é questão para dois

Rui Vinhas e Gustavo Veloso

Quando faltam três etapas para o final da Volta e em que só uma à partida poderá influenciar a classificação geral – o contrarrelógio de domingo, entre Vila Franca de Xira e Lisboa –, só Rui Vinhas está em condições de impedir o tri de Gustavo Veloso e que é curiosamente seu colega de equipa.

Em relação às duas edições anteriores, constata-se que após as duas principais etapas de montanha (Srª da Graça e Torre, ainda que este ano não tenha havido uma chegada no ponto mais alto da Serra da Estrela) e antes do contrarrelógio, a camisola amarela só deverá sorrir a Vinhas ou a Veloso. Salvaguardando naturalmente acontecimentos que podem influenciar o destino da corrida, todos os outros já estão fora de combate pelo primeiro lugar, restando a dúvida somente de quem poderá ficar na outra posição do pódio.

Em 2014 e 2015, as diferenças do camisola amarela para o 2º classificado e não só – até ao 4º e 3º havia menos de um minuto – eram menores, sendo que Gustavo Veloso, 2º nesta altura, tem os mesmos 28 segundos de avanço que tinha há dois anos quando estava na liderança. O galego, principal favorito no contrarrelógio, tem atrás de si Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), que não será uma ameaça no ‘crono’ de domingo.

Regresso

Seja como for, Rui Vinhas poderá tornar-se no primeiro português a vencer a Volta a Portugal desde 2011, ano em que ganhou Ricardo Mestre, outro colega de equipa, e impedir o tri de Gustavo Veloso.

Por Ana Paula Marques
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Volta a Portugal

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.