Portugal conquista duas medalhas em judo nos Jogos Europeus Universitários

Catarina Costa alcançou ouro e Rodrigo Lopes a prata nas respetivas provas

PUB

A judoca portuguesa Catarina Costa conseguiu esta terça-feira uma medalha de ouro e Rodrigo Lopes uma de prata, no segundo dia do judo nos Jogos Europeus Universitários, que decorrem em Coimbra até sábado.

Em -48 kg, a atleta da Universidade de Coimbra, que já tinha vencido no Europeu Universitário de 2017, bateu na final a kosovar Fjolla Kelmendi, da Universidade de Pristina, com um waza-ari, naquela que foi uma reedição da final do Grande Prémio de Antália de 2018, na Turquia, também vencido pela lusa.

Antes, a estudante de Medicina já tinha vencido a francesa Mathilde Pardon, a espanhola Clara González e a turca Nazlican Kiliç, esta última nas meias-finais, para chegar à disputa pela medalha de ouro.

"Foi um dia perfeito, ainda mais a jogar duplamente em casa, em Coimbra e em Portugal, e não podia pedir uma melhor vitória", atirou a judoca, no final da prova.

Se o objetivo definido era "ganhar a prova", o "nível mais elevado" apresentado nos Jogos apresentou-lhe algumas dificuldades, mesmo tendo conseguido sempre seguir a tática definida.

A atleta de 20 anos volta a competir já na sexta-feira, no Grande Prémio de Zagreb, antes de disputar outro Grand Prix em Budapeste, e aponta ao "grande objetivo, que será o Mundial em Baku, em setembro", no qual quer "apostar tudo".

Já Rodrigo Lopes, também ele um estudante de Medicina, na Universidade de Lisboa, acabou por perder na final de -60 kg com o espanhol Joaquim Jimeno (Universidade de Alicante), depois de chegar desgastado ao combate decisivo.

O judoca tinha batido o francês Clement Conte, o britânico Ryan Burt e o ucraniano Kyryl Samotug para disputar o ouro, naquela que foi a estreia em provas universitárias, mas faltou-lhe "resistência" para discutir o primeiro lugar do pódio.

"Na final só se pensa no ouro, mas as minhas aspirações iniciais eram de lutar por medalhas, e consegui. Faltou-me um bocadinho de caixa, porque na meia-final tive de estar sempre a atacar e acabei por pagar um bocado caro a falta de resistência", analisou o judoca, que procura agora focar-se "nos nacionais de séniores" marcados para novembro deste ano.

Depois de quatro medalhas no remo e seis na canoagem, os dois 'metais' no primeiro dia de finais no judo rendeu mais duas, elevando para 12 o número de medalhas lusas na prova, com destaque para a equipa da casa, a Universidade de Coimbra, que conquistou nove, cinco delas de ouro.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
PUB