Coronavírus: Federações receiam "efeitos nefastos" e pedem apoio governamental

Organismos que tutelam andebol, basquetebol, patinagem e voleibol escreveram carta a João Paulo Rebelo

• Foto: Ricardo Jr

As federações portuguesas de andebol, basquetebol, patinagem e voleibol solicitaram esta quarta-feira ao governo "apoio" face aos "efeitos nefastos" que a pandemia de Covid-19 pode causar na "sustentabilidade financeira" de federações, associações e clubes desportivos.

Em carta conjunta enviada hoje ao Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, as quatro federações manifestaram "preocupações" que colocam "em causa a sobrevivência" de várias entidades desportivas nacionais, "com todos os efeitos nefastos que tal situação pode provocar no tecido desportivo português".

"Os clubes estão confrontados com uma súbita e imprevisível perda de receitas de bilheteira, das atividades de formação, de patrocínios e outros apoios, mantendo-se todos os seus compromissos de pagamento", referem as quatro federações, em comunicado, salientando que "estas dificuldades virão a recair também sobre as federações desportivas".

Aquelas entidades lembram que "se os clubes não retomarem atividade após toda esta crise, haverá impactos negativos na economia, na saúde e bem-estar das populações, nomeadamente das populações jovens", pelo que deixaram um apelo ao governo português.

"As federações supracitadas solicitam junto da tutela do desporto a definição de um quadro de apoio à sobrevivência dos clubes e associações desportivas, semelhante ao disponibilizado para outros agentes económicos, que permita salvaguardar os postos de trabalho de muitos milhares de trabalhadores ligados ao desporto e a continuidade da atividade desportiva de centenas de milhares de jovens", observam, solicitando "uma reunião de urgência" com o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, começou em dezembro na China e infetou mais de 210 mil pessoas em 170 países, das quais mais de 8.750 morreram.

Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 2.978 mortes para 35.713 casos, o Irão, com 1.135 mortes (17.350 casos), a Espanha, com 558 mortes (13.716 casos) e a França com 175 mortes (7.730 casos).

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira, e o número de mortos no país subiu para dois.

O Presidente da República decretou hoje o estado de emergência em Portugal, por 15 dias, devido à pandemia de Covid-19.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Modalidades

Resultados

Todos os números da competição na época 2020/21

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.