Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Estância de wakeboard é inaugurada em junho

Na albufeira de Castelo do Bode

• Foto: D.R.
A primeira estância do mundo para wakeboard vai ser inaugurada em junho na albufeira de Castelo do Bode, um equipamento que visa potenciar turisticamente a região do Médio Tejo e que contou com um investimento de 600 mil euros.

O anúncio da inauguração da estância foi feito esta sexta-feira na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), no stand da Turismo Centro de Portugal, tendo André Matos, presidente da Associação Portuguesa de Wakeboard e Wakeskate (APWW), referido à Lusa que esta vai ser "a primeira estância do mundo com 'cable systems' [sistema de cabos] em cinco localizações diferentes na região Centro, todas elas com características únicas" e ligadas entre si num espelho de água com cerca de 30 quilómetros através de jangadas.

"A estância é inaugurada em junho, durante o "Nautique European Pro/Am", prova do circuito mundial de 'wakeboard' que ali vai decorrer", destacou, tendo ainda feito notar que "está a ser desenvolvido um outro projeto para aquela região do centro do país, único na Europa, para a construção de um centro de alto rendimento de wakeboard com o selo da Federação Mundial da modalidade (WWA), a Wake Academy - High Performance Center".

A modalidade de wakeboard caracteriza-se pelo facto de as pranchas serem puxadas à superfície da água através de um sistema de cabos ou por um barco a motor, como meio de tração, sendo um desporto aquático praticado com uma prancha e manobrada de modo a contornar obstáculos flutuantes.

"É a primeira estância do mundo, com cinco pontos de 'cable systems' diferentes, ligada por transferes de barco, numa lógica similar à das estâncias de neve, em que se circula entre cada pista. Em Castelo do Bode, ao longo de 30 quilómetros, experimentam-se vários 'cables', com características diferentes, e circula-se entre cada local de barco", descreveu.

"Com a abertura da estância em Castelo do Bode, a região entra oficialmente no mapa da comunidade de 'wakeboard' em todo o mundo", destacou André Matos, tendo observado que o número de praticantes regulares em Portugal ronda hoje os "cerca de 5 000", um número que "deverá duplicar até final do ano", perspetivou.

"A criação da estância permite que os praticantes e novos praticantes tenham a facilidade de poderem praticar sem estarem dependentes da disponibilidade de um barco. Naturalmente, quando facilitamos o acesso de qualquer desporto aos seus praticantes, prevê-se que a prática seja mais regular e que surjam novos praticantes", observou.

"Posicionar Portugal enquanto destino de eleição para a prática da modalidade, tornando-o 'cluster' europeu de 'wakeboard'", é o grande objetivo do projeto.

Em declarações à Lusa, a presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), disse que o investimento dos cinco municípios "é uma mais-valia pelo enorme potencial que representa em termos turísticos e económicos" para a albufeira de Castelo do Bode e região envolvente.

"É um projeto diferenciador que se insere numa estratégia de desenvolvimento de um turismo ao nível dos rios e da natureza, e que valoriza esse grande ativo que é a albufeira de Castelo do Bode, com um espelho de água com mais de 70 quilómetros", destacou Maria do Céu Albuquerque.

Os 'cable parks', a inaugurar em junho, estão a ser implementados nas praias fluviais de Fernandaires (Vila de Rei), do Lago Azul (Ferreira do Zêzere), Aldeia do Mato, (Abrantes), Trízio (Sertã) e Praia dos Montes (Tomar).

Esta estância funcionará com um modelo de gestão integrada, implementado em todos os cinco municípios, prevendo-se que o seu funcionamento seja do género "forfait" (tarifas para acesso às pistas) para um dia ou para uma semana, podendo ser utilizados os vários 'cables systems' instalados nas praias fluviais.
Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Modalidades

Notícias

Notícias Mais Vistas

M M