Record

Michel Almeida acredita que a mentalidade vencedora funcionou 110 por cento

JUDOCA JUSTIFICA CONQUISTA DA MEDALHA DE OURO NO EUROPEU

ALEXANDRE REIS, enviado especial

Wroclaw - O novo campeão europeu (categoria de menos 73 kg), Michel Almeida, explicou a principal razão que o levou a conquistar, domingo, o título em Wroclaw (Polónia), tendo dado uma grande importância ao trabalho de preparação dos aspectos psicológicos.

"A mentalidade vencedora funcionou a 110 por cento, graças ao trabalho do psicólogo António Serpa. Consegui alhear-me das pressões interiores vindas de mim próprio, das pressões do CDUL e da Imprensa, que me podiam impedir de dar o rendimento máximo, já que a minha chamada como titular ao Europeu impunha muitas responsabilidades. Consegui realizar uma prova bastante relaxado, sem preocupações, muito motivado e concentrado, aspectos que contribuíram para o sucesso, pois ao nível físico não estou no pico máximo da forma", explicou Michel Almeida.

Apesar da sua actuação fulgurante no Europeu, onde venceu os cinco combates realizados pela vantagem máxima, "ippon", o judoca do Clube Naval do Funchal não se considera um dos favoritos nas próximas Olimpíadas de Sydney, pois no judo é difícil dizer quem vai ganhar à partida: "No atletismo, por exemplo, um velocista vale pelos 9,5 segundos que faz nos 100 metros. Nesta modalidade as coisas não são tão precisas, devido a uma multiplicidade de factores. No entanto, o acesso aos Jogos é tão restrito, que qualquer judoca presente em Sydney está em boa posição de chegar ao primeiro lugar do pódio, desde que faça uma boa preparação e que esteja bem no dia da prova. Tudo pode acontecer e é importante encarar o objectivo dessa maneira sem pressões de ser o favorito, embora queira acreditar num bom resultado, pois não quero acomodar-me à perspectiva de ficar mal classificado."

A carreira desportiva de Michel Almeida tem sido marcada por pontos altos e baixos, devido às lesões. Em 1993, conquistou a medalha de bronze no Europeu de juniores (Holanda), para, no ano seguinte, sagrar-se vice-campeão europeu (Almada) e mundial (Egipto) do mesmo escalão. Foi nono classificado nas Olimpíadas de Atlanta (1996) e, em 1997, realizou uma época internacional de bom nível, na categoria abaixo do seu peso actual (na altura 65 kg).

Depois, veio o martírio, que comprometeu a sua carreira no "top". Uma hérnia na zona do pescoço obrigou-o a estar todo o ano de 1998 parado para tratamento, ficando, por razões médicas, de subir à categoria de menos de 73 kg. A sua adaptação e afirmação no peso acima foi demorada e, de certo modo, tapada pelas qualidades de Guilherme Bentes - rival do CDUL, de muito respeito, que só cedeu a primazia no "ranking" europeu de 2000, precisamente o da qualificação Olímpica, abrindo as portas à ascensão de Michel Almeida, que garantiu a titularidade na selecção, ao conquistar a medalha de ouro no Torneio de Roma.

"Eu próprio fiquei muito surpreendido em recuperar a forma em ano e meio, pois conquistei duas medalhas de bronze em provas de Nível B, "ouro" numa prova de Nível A, "bronze" nas Universíadas e, agora, o título europeu. Se olharmos para tudo isso, são factos para eu acreditar em mim e as outras pessoas fazerem o mesmo", considerou o judoca, que escreveu, mais uma vez, uma página histórica da modalidade e, até, do Desporto português, tendo em conta que o judo lusitano é uma das modalidades mais prestigiantes para a imagem do País além-fronteiras.

Dotado de grandes recursos tácticos, técnicos e com uma pega que se adapta bem à esquerda e à direita, Michel Almeida venceu os cinco combates realizados no Europeu, utilizando outras tantas técnicas, sempre diferentes, em cada vez com que fulminou os adversários. O judoca explicou como venceu, na final, o temível russo, Vitali Makarov, um adversário muito difícil, que se apresentou em Wroclaw com o estatuto de vice-campeão mundial: "Tinha uma ideia pré-estabelecida do adversário, considerando-o muito forte pela forma como se bate com os opositores. Eu e o treinador, Rui Rosa, decidimos que eu tinha de tirar partido dos meus fortes ataques no início da luta, aproveitando o efeito surpresa e o meu poder de explosão. Esta atitude foi positiva e o combate durou pouco tempo", concluiu Michel Almeida, pouco tempo depois de o Presidente Jorge Sampaio ter revelado o seu feito na Televisão, durante a final da Taça de Portugal de futebol - uma iniciativa que caiu muito bem na comitiva portuguesa que se deslocou à Polónia.

QUEM É QUEM

Nome: Michel Almeida

Categoria: menos de 73 kg

Idade: 25 anos

Altura: 1,70 m

Profissão: estudante universitário (Ciências do Desporto, FMH)

Clube: Clube Naval do Funchal

Treinador: Manuel Saldanha

"Palmarès" internacional mais significativo: campeão europeu de seniores (2000), medalha de bronze nas "Universíadas" (1999), vice-campeão europeu e mundial de juniores (1994) e medalha de bronze no europeu de juniores (1993)

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Modalidades

Notícias

Notícias Mais Vistas