Pedro Figueiredo volta às vitórias três anos depois

Golfista do Benfica impôs-se no Hilti/Mota Engil PGA Open

• Foto: Ramiro de Jesus/PGA de Portugal

Pedro Figueiredo regressou às vitórias após um prolongado hiato de três anos e conquistou esta sexta-feira o último dos torneios do PGA Portugal Tour a contar para a Ordem de Mérito 1080 Produções de 2016, o Hilti/Mota Engil PGA Open.

"Foi bom, não ganhava neste circuito nem em qualquer outro desde o Campeonato Nacional de 2013. Sabe bem. Uma vitória é sempre uma vitória, em qualquer circuito, é para isso que trabalhamos e treinamos, é para ver o nosso esforço recompensado, e é uma prova de que a persistência compensa", disse ao Gabinete de Imprensa da FPG o profissional que há um mês passou a representar o Sport Lisboa e Benfica.

O torneio de 7.500 euros em prémios monetários atraiu 23 jogadores e tinha vários motivos de interesse para ser um sucesso, a começar pelo regresso do PGA Portugal Tour ao bonito campo de golfe de Amarante, o qual não visitava desde 2008.

Mas havia também a estreia de Tomás Silva como profissional, depois de ter terminado a semana anterior como o n.º 1 nacional amador. Finalmente, a luta pela primeira posição da Ordem de Mérito 1080 Produções de 2016 estava ao rubro entre Hugo Santos e Tiago Cruz.

Para apimentar ainda mais o torneio, Afonso Girão liderou a prova aos 18 buracos. Um amador, membro das seleções nacionais da FPG, a desafiar alguns dos melhores profissionais portugueses, com uma volta excelente de 62 pancadas, 6 abaixo do Par.

Uma primeira volta que só hoje se concluiu, depois do cerrado nevoeiro de ontem ter prejudicado o programa da primeira jornada.

Tudo isso foi, contudo, relegado para segundo plano com o triunfo de Pedro Figueiredo, com um total de 128 pancadas, 8 abaixo do Par, após voltas de 65 e 63.

'Figgy' recebeu um prémio de 1.500 euros e superou por uma pancada dois jogadores que ficaram empatados no 2.º lugar, o amador Afonso Girão (62+67) e o profissional Hugo Santos (65+64).

Um final de prova emocionante, na medida em que esteve-se muito perto de recorrer a um play-off para decidir o título. Tanto Afonso Girão, do Oporto Golf Club, como Hugo Santos, da Algarve Unique Properties, dispuseram de putt para birdie no buraco 18 para empatarem com Pedro Figueiredo com 8 abaixo do Par.

"O Hugo tinha um putt de 3 metros a subir e o Afonso um putt de um metro e meio", contou Pedro Figueiredo, que estava a jogar no grupo da frente, portanto, já tinha terminado a prova e estava a ver a conclusão do último grupo.

Como Afonso Girão é amador e não pode receber prémio monetário, o cheque do 2.º classificado foi inteiro para mais velho dos irmãos Santos, no valor de 1.100 euros, enquanto o seu rival mais direto, Tiago Cruz, foi 4.º classificado (65+66), a 3 pancadas do campeão, embolsando mil euros.

Hugo Santos terminou, assim, a época de 2016 como o n.º 1 do PGA Portugal Tour, indo receber um bónus monetário de mil euros, oferecido pela 1080 Produções.

Tal como 'Figgy' aguardou três anos para renovar com a vitória, também Hugo Santos esteve três anos à espera para recuperar ao posto de n.º 1 que foi seu em 2011, 2012 e 2013. Em 2014 e 2015 tinha sido Tiago Cruz a terminar a época à frente da Ordem de Mérito 1080 Produções.

Este ano, Hugo Santos teve o ponto mais alto da sua época desportiva ao ganhar a 2.ª Taça Ibérica, a cimeira anual entre as PGA’s de Portugal e Espanha.

Por Hugo Ribeiro/FPG
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Golfe

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.