Portugal fica em último mas Leonor Bessa termina invencível

No 34.º Campeonato da Europa Amador de Equipas Femininas

• Foto: Filipe Guerra

Portugal concluiu esta sexta-feira a sua participação com o 19.º e último lugar no 34.º Campeonato da Europa Amador de Equipas Femininas, que a Associação Europeia de Golfe (EGA), está a organizar até amanhã, em colaboração com a Federação Portuguesa de Golfe (FPG), no Montado Hotel & Golf Resort, no Concelho de Palmela.

A seleção nacional feminina perdeu hoje com a Finlândia por 3-2 no confronto que atribuía o 19.º posto, em duelo do Grupo-C (terceira divisão), enquanto no Grupo-A ("1º Flight"), a divisão principal, as meias-finais ditaram que a decisão do título se faça amanhã entre a Itália e a Inglaterra, que defende o título.

Apesar da derrota de hoje, houve dois encontros ganhos por portuguesas em singulares. Leonor Bessa, a campeã nacional amadora, derrotou Elinoora Moisio por 1 up (decidido no último buraco), enquanto Leonor Medeiros, a bicampeã nacional de sub-14, vergou Hannele Mikkola também por 1 up.

Nos restantes embates, Sofia Barroso Sá, de apenas 13 anos, cedeu diante de Petra Salko por 7/5, exatamente o mesmo resultado do desaire de Beatriz Themudo diante de Karina Kukkonen.

No primeiro "match" do dia, de pares (foursomes), Joana Mota e Sara Gouveia foram batidas por Kiira Riihiharvi e Emilia Tukiainen por 2-1. Quinta-feira, no primeiro dia da segunda fase da prova, Portugal tinha perdido por 3,5-1,5 com a Islândia.

Luís Costa Macedo, o capitão da seleção nacional feminina, recusou uma análise demasiado negativa à prestação portuguesa e salientou ser a equipa mais jovem em prova, com duas jogadoras de sub-14 e uma de sub-18. "Não me parece que houvesse aqui nenhuma jogadora de sub-14 e mesmo de sub-16 duvido, até porque ao mesmo tempo está a decorrer o Campeonato Europeu de sub-18 na Finlândia", frisou.

"É preciso dar uma palavra de apreço a estas meninas. Foi uma grande semana de trabalho, este é um bom grupo de jogadoras, têm um bom espírito, são jovens e têm futuro", acrescentou. "A grande diferença que se nota é em dois aspetos técnicos: na distância de pancada e no putt. Tanto ontem como hoje as adversárias meteram muitos putts de 4 e 5 metros e as nossas jogadoras não», acrescentou o diretor do Centro Nacional de Formação de Golfe do Jamor", especificou.

Numa análise mais individual, Luís Costa Macedo, destacou, naturalmente, a prestação de Leonor Bessa, que mostrou estar ao nível das melhores, depois de terminar a primeira fase no 14º lugar entre 115 jogadoras de 19 países e de ter terminado a segunda fase da prova invencível: "É uma grande jogadora, ao nível das melhores que vi aqui."

Aliás, vale a pena fazer aqui um parêntesis porque os resultados oficiais da EGA dão conta de Leonor Bessa ter ontem empatado o confronto com a islandesa Guorun Bra Bjorgvinsdottir.

No entanto, a campeã nacional amadora esclareceu ao Gabinete de Imprensa da FPG que, na realidade, estava a vencer o confronto: "ganhei os dois "matches", ontem e hoje, mas ontem demos o empate porque já não valia a pena (continuar), visto que Portugal já tinha perdido (o confronto global com a Islândia)."

Voltando ao capitão de equipa, que pela primeira vez acompanhou estas jogadoras, ficou ainda impressionado com outros detalhes: "A Leonor Medeiros tem uma excelente atitude. Hoje virou o 'match' dela. Saiu do buraco 14 a perder por 2 pancadas e depois venceu os buracos 15, 16 e 17 de rajada, com imensa raça."

Luís Costa Macedo considera ainda que "a Sofia, com apenas 13 anos (a mais jovem da prova), considerando que foi a primeira vez que competiu na vida em match play, mostra muito bom nível para esta idade. A Sara tem muita margem de progressão e a Joana é preciso compreender que licenciou-se há duas semanas em Biologia. Portugal tinha os handicaps mais elevados da prova e as portuguesas baixaram o seu handicap neste torneio".

Entretanto, entre a elite europeia, nas meias-finais de hoje, o país campeão em título, a Inglaterra, derrotou a Suécia por 4,5-2,5; enquanto Itália impôs-se à Espanha por 5-2.

A Suécia tinha dominado a primeira fase da prova e uma vez mais provou-se que o match play é outro jogo, exige outras características mentais em que as britânicas se mostraram mais fortes.

Foi, contudo, uma meia-final espetacular, na medida em que houve dois encontros a só serem decididos no 20º buraco (2 buracos de prolongamento), um duelo a ir ao 18º e último buraco, um empate, e ainda outro confronto a fechar-se no 17º e penúltimo buraco. Ou seja, em sete "matches", só dois tiveram vitórias convincentes, os restantes poderiam ter caído para qualquer lado.

A final entre Inglaterra e Itália joga-se a partir das 8h00 de amanhã, no Montado.

Por Hugo Ribeiro/FPG
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Golfe

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.