Portugal sobe à Primeira Divisão e luta pelo título masculino

Campeonato da Europa Amador de Equipas termina este sábado na Hungria

João Girão somou hoje dois pontos para Portugal

Portugal garantiu esta sexta-feira, apenas pela terceira vez, a subida à Primeira Divisão do Campeonato da Europa Amador de Equipas Masculinas através da Segunda Divisão, um torneio criado em 2002. A seleção nacional masculina derrotou a Holanda por 4/3 numa meia-final equilibrada e vai jogar este sábado a final diante da Finlândia que, por seu lado, bateu a Sérvia por 5-2.

A Segunda Divisão do Campeonato da Europa Amador de Equipas Masculinas é organizada até amanhã pela Associação Europeia de Golfe (EGA) em colaboração com a Federação Húngara de Golfe, no Zala Springs Golf Resort, em Zalacsány.

O top-3 da Segunda Divisão ascende ao escalão principal em 2018 e, por isso, ao apurar-se para a final, a equipa liderada pelo selecionador nacional Nelson Ribeiro já atingiu o primeiro objetivo, o mais importante, e agora terá de preocupar-se apenas amanhã em sagrar-se pela segunda vez campeão europeu da Segunda Divisão.

Recorde-se que em 2015, no Postolowo Golf Club, na Polónia, Portugal obteve um dos maiores triunfos na história do golfe amador português, ao sagrar-se campeão europeu da Segunda Divisão. Em 2012, no Keilir Golf Club, na Islândia, a seleção nacional foi 3.ª classificada e também subiu de divisão.

No Portugal-Holanda de hoje, Tomás Melo Gouveia e Vítor Lopes perderam nos pares (foursomes) frente a Pierre Junior Verlaar por 3/2, mas João Girão e Pedro Lencart empataram o duelo, ao vencerem Stan Karaai por esclarecedores 5/4.

Nos singulares, Tomas Perkins começou por ceder diante de Pierre Junior Verlaar por 2/1, mas depois Vítor Lopes ganhou a Koen Kouwenaar por 1 up (último buraco); Vasco Alves também foi ao último buraco e vergou por 2 up Berry Jole; e João Girão revelou-se um elemento fundamental neste apuramento de Portugal, ao ser o único jogador português a somar 2 pontos, depois do triunfo sobre Peter Melching por arrasadores 6/5. O desaire de Pedro Lencart por 3/2 face a Stan Karaai acabou por ser irrelevante.

A final entre Portugal e Finlândia já era algo previsível depois de na primeira fase as duas equipas terem terminado empatadas no topo da classificação, com o mesmo resultado de 719 pancadas, 1 abaixo do Par, tendo sido as únicas nações a baterem o Par do campo aos 36 buracos, entre os 9 países participantes.

Note-se que a equipa finlandesa também tem um "dedo" português, na medida em que três dos seus jogadores são treinados por David Silva, o antigo presidente da PGA de Portugal que emigrou para Finlândia onde treina um grupo privado de elite.

"O Kim Koivu, Rasmus Karlsson e Eetu Isometsa são meus jogadores. Olhando para os rankings mundiais e europeus (amadores) a equipa finlandesa deveria ser ligeiramente favorita. Tem todos os jogadores nos Top-800. Mas isso não quer dizer nada. Portugal jogou muito bem na qualificação e empatou com Finlândia. São equipas equilibradas e deverá ser um bom match, até porque os jogadores devem agora estar mais descontraídos, visto ambas as seleções estarem apuradas para Primeira Divisão", comentou David Silva ao Gabinete de Imprensa da FPG.

Por Hugo Ribeiro/FPG
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Golfe

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.