Stephen Ferreira ainda tem hipóteses

Terceiro top-10 da época no Sunshine Tour

Stephen Ferreira arrancou o seu terceiro top-10 da temporada no Sunshine Tour, melhorou em dez lugares a sua cotação na ordem de mérito da primeira divisão sul-africana e manteve as hipóteses matemáticas de apurar-se para o torneio de encerramento da época.

"Já garanti o meu cartão para a próxima época, que começa a 28 de março, no Open da Zâmbia, mas ainda tenho um torneio antes, esta semana, no Euphoria Golf Club (Limpopo Championship). Preciso de ganhar ou talvez de ficar em 2.º para poder qualificar-me para o The Tour Championship", disse o português do Zimbábue à Tee Times Golf, em exclusivo para Record.

Stephen Ferreira associou-se ao seu amigo de longa data, Benjamin Follett-Smith, para brilhar no Team Championship, onde foram 9.º classificados entre 27 equipas (total de 54 jogadores), ao agregarem 196 pancadas, 20 abaixo do Par do Dainfern Golf and Country Estate, a noroeste de Joanesburgo.

"Para ser sincero, antes do torneio começar achei que tínhamos uma boa hipótese de ganhá-lo, mas nos últimos nove buracos não conseguimos fazer um bom ataque final. De qualquer modo, jogámos bem durante a semana", analisou o português de 27 anos.

O par luso-zimbabueano mostrou-se muito forte na modalidade de 'foursomes' (pancadas alternadas), como se viu por uma segunda volta em 66 pancadas, 6 abaixo do Par, o segundo melhor resultado dessa segunda jornada. Graças a essa performance, ascenderam do 15.º ao 5.º lugar.

No primeiro dia, as 64 pancadas (-8) em 'fourball' (duas bolas em jogo, escolhendo-se a melhor em cada buraco) ficaram mesmo assim longe do melhor resultado de 58 (-14).

A terceira volta de 66, também em 'fourball', teve 8 birdies, mas também contou com 2 bogeys que impediram-nos de manter o top-5.

É interessante que Stephen Ferreira e Benjamin Follett-Smith tenham-se mostrado mais fortes na modalidade de jogo teoricamente mais difícil, mas é em 'foursomes' que vem ao de cima a empatia entre os parceiros, por ser um jogo mais estratégico.

"O Benjamin e eu somos bons amigos. Jogámos juntos no Zimbábue nos tempos juvenis e do golfe amador e andámos na mesma escola, sendo que ele é apenas um par de anos mais novo do que eu", explicou o português.

O Team Championship foi conquistado pelos sul-africanos Jaco Prinsloo e J.C. Ritchie, sócios do clube do ex-n.º1 mundial Ernie Els, com 189 (61+66+62), -27, que desforraram-se de no ano passado nem terem superado o cut na primeira edição da prova.

Stephen Ferreira teve uma fase menos boa no Sunshine Tour em novembro, dezembro e janeiro, mas passou o cut nos últimos três torneios que disputou e este 9.º lugar (empatado) permitiu-lhe ascender de 81.º para 71.º na ordem de mérito do Sunshine Tour.

"Recentemente estou a gostar mais do meu jogo. Tenho vindo a jogar de forma mais sólida e ando a cometer apenas um ou outro erro menor. Isso deixa-me otimista para o próximo torneio e para a próxima época. Nos últimos tempos regressei ao trabalho de ginásio, tenho corrido mais em treino e acredito que isso ajudou-me a colocar em ordem o meu jogo e até mesmo a minha cabeça", disse o profissional do Borrowdale Brooke Golf Club.

"Espero dar proximamente uma alegria aos fãs portugueses espalhados pelo Mundo", concluiu.

Autor: Hugo Ribeiro/Tee Times Golf para Record

Por Hugo Ribeiro
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Golfe

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.