Três portugueses passam o cut em Palmela

Gonçalo Costa, Vítor Lopes e Vasco Alves destacam-se no Internacional Amador de Portugal

• Foto: Rui Frazão/FPG

O golfe masculino português continua a produzir novas fornadas de jogadores e, esta sexta-feira, três portugueses passaram o 'cut' no 87.º Campeonato Internacional Amador Masculino de Portugal (CIAMP), que a Federação Portuguesa de Golfe (FPG) está a organizar até sábado no Montado Hotel & Golf Resort, em Palmela.

Vítor Lopes, de 20 anos, Vasco Alves, de 16, e Gonçalo Costa, de 21, foram os jogadores que marcaram esta boa prestação, ficando a apenas um jogador do recorde nacional fixado no ano passado, quando quatro se apuraram para o último dia de prova. Em 2016 tinham sido Tomás Silva, em 15.º empatado (Par do campo), Vítor Lopes, em 24.º empatado (+2), Afonso Girão e Pedro Lencart no grupo dos 29.ºs classificados (+3).

Pois bem, um ano depois, Tomás Silva já é profissional e anda a brilhar no Algarve Pro Golf Tour, Afonso Girão foi contratado por uma universidade e compete e estuda nos Estados Unidos, Vítor Lopes repetiu o feito do ano passado, mas melhorou a sua prestação, na medida em que chega ao final da terceira volta no grupo dos 16.º classificados, com 1 pancada abaixo do Par. Só Pedro Lencart não logrou passar o cut pelo terceiro ano consecutivo e foi eliminado em 55.º empatado (+8).

E se Vítor Lopes parecia um pouco abatido depois de ter feito a sua primeira volta deste torneio acima do Par, em 73 (+1), a verdade é que só perdeu 3 posições na classificação geral e um top-10 continua a ser possível de alcançar este sábado, pois está a apenas duas pancadas dessa elite.

"O meu jogo esteve igual mas hoje vivi um dia doloroso dentro dos greens, porque fiz 38 putts, o que é inadmissível, com seis greens a 3 putts, e nem estava muito longe pois meti a bola perto", lamentou-se o segundo melhor português no ranking mundial amador, que se recusou, contudo, a baixar os braços: "Mas pronto, há sempre uma má volta, acredito que poderia estar facilmente entre os líderes (…), tenho já muitos Campeonatos Internacionais (nas pernas), aprendi bastante, sei que são quatro dias, estive calmo, paciente e, quem sabe, talvez amanhã seja aquela volta que estou à espera desde o primeiro dia."

Palavras agridoces do melhor português em prova, a contrastar com a natural alegria de Vasco Alves e Gonçalo Costa, por terem passado pela primeira vez o cut neste torneio importante, sendo que para o jovem do Oporto Golf Club foi apenas a sua segunda participação e surge em 23.º empatado (+1), enquanto o jogador da seleção nacional da FPG está a jogar o evento pela quinta vez e fixou-se em 27.º empatado (+2).

"É um dos momentos mais felizes da minha carreira, joguei bem nos três dias e acho que só posso compará-lo com o Campeonato Nacional Amador Peugeot que joguei há dois anos em Santo Estêvão, quando, com 15 anos acabei com 1 pancada abaixo do Par. Hoje fiquei muito satisfeito com mais uma volta a Par do campo", rejubilou Vasco Alves, que foi de novo acompanhado pelo treinador do Oporto Golf Club, Eduardo Maganinho, como caddie.

"Comecei muito mal hoje, ao fim de cinco buracos vinha com 4 acima do Par, depois consegui recuperar e fiz 2 birdies, e só fiz Par até ao fim. Foi bem recuperado e acho que a presença do meu pai foi essencial para acalmar-me naquele momento e ajudar-me a passar o cut. É um prémio para o trabalho que tenho vindo a fazer desde julho, estou a treinar bastante e os frutos estão aí", afirmou Gonçalo Costa.

O terceiro dia do CIAMP foi o mais chuvoso de todos, o frio e o vento mantiveram-se agrestes e foi uma provação para jogadores, caddies, treinadores, árbitros e scorers, mas a organização da FPG lá conseguiu cumprir o programa, fazendo com que amanhã só se dispute a última volta, a partir das 8h30, com todas as saídas do buraco 1 a partir das 8h30. Gonçalo Costa começa às 9h00, Vasco Alves às 9h30 e Vítor Lopes às 9h50.

Em condições de jogo tão difíceis, não admira que tenham sido dois ingleses a sobressair no penúltimo dia: Bailey Gill porque assinou o melhor resultado do dia, em 67 pancadas, 5 abaixo do Par, para ascender ao 3.º lugar (-5); e Joshua McMahon, que manteve a liderança (-8).

Os resultados mais importantes do CIAMP aos 54 buracos foram os seguintes:

1.º Joshua McMahon (Inglaterra), 208 (69+67+72), -8
(...)
16.º (empatado) Vítor Lopes (Portugal/Seleção Nacional), 215 (71+71+73), -1
23.º (empatado) Vasco Alves (Portugal/Oporto Golf Club) 217 (72+73+72), +1
27.º (empatado) Gonçalo Costa (Portugal/Seleção Nacional), 218 (71+73+74), +2

A Taça das Nações, que terminou esta sexta-feira, foi ganha pela Itália com 422 (-10), contando os resultados de Giacomo Fortini, Luca Cianchetti e Francesco Donaggio. Foi uma vitória arrancada a ferros, pois Inglaterra ficou a uma pancada, atuando com Joshua McMahon, Jake Burnage e George Bloor. Portugal foi 15.º (+7) com Vítor Lopes, Pedro Lencart e Tomás Melo Gouveia, enquanto a equipa 2 de Portugal foi 18.ª (+12) com Gonçalo Costa, Carlos laranja e Tomás Bessa. Houve um total de 24 formações.

Por Hugo Ribeiro/FPG
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Golfe

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.