Luís Sénica antevê medalhas na participação portuguesa nos Roller Games

Presidente da Federação de Patinagem de Portugal perspetiva uma participação lusa de "qualidade"

• Foto: Miguel Barreira

O presidente da Federação de Patinagem de Portugal (FPP), Luís Sénica, perspetiva uma participação lusa de "qualidade" e "com medalhas" nos World Roller Games, que esta quinta-feira têm a sua abertura oficial em Barcelona, em Espanha.

Luís Sénica considera "legítimas as aspirações de sonhar com o título mundial de hóquei em patins", apesar da "exigência alta da competição", e acredita também na possibilidade de "caírem medalhas na patinagem artística e de velocidade".

A segunda edição dos World Roller Games, que tiveram a estreia há dois anos em Nanjing, na China, concentra num mesmo evento 11 disciplinas de patinagem, mas as atenções lusas focam-se, pela tradição e história, no mundial de hóquei em patins.

"As expectativas são boas [para o mundial de hóquei]. Temos uma seleção de grande excelência, mas sabemos que este campeonato do mundo tem particularidades muito específicas e uma exigência muito alta", disse Luís Sénica à agência Lusa.

O presidente da FPP, antigo selecionador nacional de hóquei em patins, recordou que "Portugal nas últimas três competições esteve em três finais e venceu uma", pelo que considera "legítimo acreditar, de forma intensa e veemente, neste grupo de trabalho".

"O modelo competitivo que foi introduzido a partir da China [na primeira edição dos World Roller Games], de oito seleções que disputam o título mundial, faz logo aqui um aumento da competitividade e uma margem de exigência muito alta", sustentou Luís Sénica.

De acordo com o dirigente, "todas as seleções têm o seu potencial, mas as que tradicionalmente são mais conceituadas no mundo do hóquei em patins, como é o caso de Portugal, Espanha, Itália e Argentina, mantêm-se numa primeira linha".

"Mas também não é possível descurar a França, por exemplo, que tem obtido excelentes resultados, ou o Chile e olhar com atenção para a Colômbia, que são seleções que podem sempre criar algumas dificuldades", defendeu o dirigente.

Luís Sénica considera ainda que o mundial de hóquei em patins, no qual Portugal irá defrontar na fase de grupos a Argentina, o Chile e a Colômbia, é uma competição de "grande exigência e de grande nível, dada a grande qualidade das seleções intervenientes".

"Portugal tem a sua dimensão de liderança no mundo do hóquei e estamos convictos que iremos fazer um grande campeonato e todos sonhamos com o título mundial", reforçou o presidente da FPP.

O presidente recordou que Portugal possui "uma seleção de grande qualidade" e que a federação, através do seu acompanhamento e cooperação, facultou-lhe "todas as condições para que possa manifestar toda a sua competência em pista".

O sonho pela conquista do título mundial é também extensível à seleção de sub-19, que ergueu o troféu nas últimas três edições (ainda como sub-20), e Luís Sénica admite também a possibilidade de medalhas nas disciplinas de patinagem artística e de velocidade.

"Estamos expectáveis no trajeto positivo da nossa seleção de sub-19. Mas são jovens que requerem que não haja muita pressão sobre eles e que haja apenas confiança e da parte do presidente e da federação há confiança", referiu Sénica.

Nas disciplinas de patinagem artística e velocidade, Luís Sénica não duvida de que "os atletas portugueses são candidatos" e espera que, "sem surpresas, aconteçam algumas confirmações".

"Temos atletas e treinadores de grande nível e estamos expectáveis na excelência e na qualidade da nossa representação. Creio que cairão medalhas para nós e será a confirmação do trabalho feito em Portugal nesta área", disse.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Hóquei em Patins

Notícias

Notícias Mais Vistas