'Portunhol' na pista

Autêntica invasão de jogadores vindos de Espanha

• Foto: Manuel Azevedo

O campeonato nacional da próxima temporada será o mais espanhol dos últimos anos. A ‘invasão’ vinda do outro lado da fronteira é tão grande, que há jogadores suficientes para fazer uma equipa com titulares, suplentes, elementos para ficarem fora dos convocados e até dois treinadores!

"Será muito enriquecedor para o campeonato português", começa por dizer o selecionador espanhol Quim Paüls, que acrescenta que vão "juntar-se duas mentalidades muito fortes, a portuguesa que é fortíssima no jogo rápido e imprevisível, e a espanhola, que tem na componente tática a grande mais-valia".

Apesar das saídas de Marc Torra do Benfica e de Albert Casanovas da Oliveirense, ambos para o Reus de Espanha, os principais clubes portugueses apostaram, e de que maneira, em Espanha. Só o Sporting é quase meia equipa. Guillem Pérez treinava o Vendrell e com ele chegam Pedro Gil, Sergi Miras e Ferran Font. Segue-se a Oliveirense com três jogadores, Jordi Bargalló, Jepi Selva e Pablo Cancela. Os dois reforços do FC Porto da nova época também são espanhóis, Carles Grau e Ton Baliu. Estes juntam-se àqueles que por cá já andavam, Guillem Cabestany a treinar o FC Porto, Trabal e Adroher no Benfica, Puigbi na Oliveirense e Edo Bosch que na próxima época vai defender as redes da Juventude de Viana.

Paüls diz que "as circunstâncias daquilo que se vive Espanha é a grande justificação" para a ‘debandada’ de atletas para Portugal. Ou seja, desinvestimento na modalidade e a própria crise no país. Mas há mais: "O facto de serem contratados por clubes com grande nome no desporto mundial e no futebol em particular também ajuda, porque as estruturas são mais fortes." Por tudo isso, Quim Paüls afirma também que "a liga portuguesa está muito atrativa, é a mais atrativa do Mundo, com jogadores novos a emergir na modalidade e tudo isso ajuda na hora de escolher os projetos".

Na próxima época em Portugal haverá jogadores históricos como Pedro Gil ou Jordi Bargalló, mas também promessas como Ferran Font e Carles Grau. Quim Paüls sublinha que "todos são fortes e é difícil dizer quem será o melhor reforço, pois vão ter de se moldar ao estilo de jogo português". Acrescenta ainda que "os jogadores mais experientes por norma adaptam-se melhor, mas os mais novos querem mostrar rapidamente que foram uma boa aposta".

Por Humberto Ferreira
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Hóquei em Patins

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.