Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias. Seguir

Federações portuguesas felizes com manutenção de surf, skate e escalada em Los Angeles'2028

Agrado luso com a proposta do Comité Olímpico Internacional

• Foto: EPA
As federações portuguesas responsáveis pelo surf, pelo skate e pela escalada manifestaram esta quinta-feira à Lusa o agrado com a proposta do Comité Olímpico Internacional (COI) de manter aqueles desportos no programa de Los Angeles2028.

Segundo o presidente da Federação Portuguesa de Surf (FPS), a decisão hoje anunciada pelo COI, e que tem o apoio do Comité Organizador do evento, era "já esperada", porque "o surf entrou para ficar nos Jogos Olímpicos".

"Foi um sucesso. É algo que já se esperava, e logo em Los Angeles, uma das capitais mundiais do surf. Agora é saber quais os critérios de classificação, como para Paris2024", comentou João Aranha.

O dirigente vê esta manutenção no programa olímpico como dando "crédito ao desporto, mostra que está no bom caminho", e que a modalidade "tem créditos assegurados", até porque permite atrair "um público mais novo".

Na estreia, em Tóquio2020, Portugal competiu com Teresa Bonvalot, nona na classificação final, e com Yolanda Sequeira, que conseguiu um diploma ao acabar no quinto lugar a prova. Também apurado, Frederico Morais não participou devido a um teste positivo à covid-19.

Pela parte da Federação de Patinagem de Portugal (FPP), o presidente Luís Sénica realça a "grande notícia", para o skate mundial mas também para os portugueses.

"É um grande motivo de orgulho que nos mantém motivados no projeto de desenvolvimento e implementação do 'skateboarding' em Portugal, que já é uma referência a nível europeu", acrescentou.

A estreia da modalidade urbana também teve 'sabor' português em Tóquio2020, com Gustavo Ribeiro a acabar no oitavo lugar final e conseguir um diploma.

Sem lusos na capital do Japão, a escalada também foi proposta para uns terceiros Jogos, e presidente da Federação Portuguesa de Montanhismo e Caravanismo (FPMC), João Queiroz, recebeu esta proposta "com muita esperança".

"Estamos a trabalhar para nessa data termos atletas competitivos. Acho que Paris2024 ainda é cedo, mas Los Angeles2028 é possível. Estamos a preparar a constituição de uma federação ibérica para termos um respaldo com os nossos companheiros espanhóis, no sentido de dar mais força, digamos, à atividade, para os atletas se poderem preparar, com a experiência dos atletas espanhóis", revelou.

O presidente do COI, Thomas Bach, anunciou a decisão no final da reunião do Conselho Executivo daquele organismo, em conferência de imprensa, colocando os três desportos na lista a ser submetida à Sessão do COI de fevereiro de 2022, em Pequim, onde será finalizada a proposta inicial de todas as modalidades.

O dirigente olímpico destacou ainda que o próprio comité organizador concordou com a proposta, além de poder ainda sugerir a adição de outros desportos ao programa.

A inclusão de skate, escalada e surf baseia-se, explicou Thomas Bach, "na contribuição significativa para o sucesso, no geral, de Tóquio'2020" enquanto evento.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Jogos Olímpicos

Notícias

Notícias Mais Vistas