Comité Paralímpico português diz que adiar Jogos "faz todo o sentido"

José Lourenço elogiou "sentido de responsabilidade" da organização

• Foto: Getty Images

O presidente do Comité Paralímpico de Portugal (CPP) considerou esta terça-feira que a decisão de adiar os Jogos Paralímpicos Tóquio'2020 "faz todo o sentido" e "põe fim à ansiedade que já afetava muitos atletas".

Em declarações à Agência Lusa, José Lourenço, afirmou que a "decisão vem ao encontro da necessidade de proteção de saúde de todos os agentes desportivos", e elogiou o "sentido de responsabilidade" do comité organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio'2020.

O líder do CPP admitiu que decisão hoje anunciada, de adiar os dois eventos, "repõe as condições de igualdade entre todos os atletas".

"Esta decisão faz todo o sentido, e permite que os atletas reiniciem, com tranquilidade e quando houver condições, o seu processo de preparação", disse.

José Lourenço lembrou ainda que a decisão vem ao encontro do que já tinha sido manifestado por muitos atletas e vários comités nacionais ao nível mundial, desde que teve início a pandemia da covid-19.

O Comité Olímpico Internacional (COI) e o Comité Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos anunciaram hoje o adiamento dos Jogos, devido à pandemia da covid-19.

Em comunicado, os organizadores dos eventos esclarecem que "os Jogos da XXXII Olimpíada em Tóquio devem ser remarcados para uma data posterior a 2020 e nunca depois do verão de 2021".

Desde 1988, que os Jogos Paralímpicos passaram a utilizar as instalações dos Jogos Olímpicos, e mais recentemente, os dois eventos começaram a ter o mesmo comité organizador.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, há 30 mortos e 2362 infetados confirmados. Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 2 de abril.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Paralímpicos

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.