Crescimento do CPP impressiona Andrew Parsons

Brasileiro é presidente do Comité Internacional e deixa elogios ao trabalho feito em Portugal

• Foto: Miguel Barreira

No nosso país, a convite do Comité Paralímpico de Portugal (CPP), para marcar presença no congresso que no próximo fim de semana decorre em Braga, o presidente do Comité Paralímpico Internacional (IPC) deixou elogios à forma como o organismo nacional tem evoluído, referindo estar em permanente contacto com José Lourenço, o líder do CPP.

"Tenho visto uma evolução, não só nos desempenhos desportivos, mas também fora dos campos, como na estratégia, na área comercial, na comunicação... É fundamental evoluir esses dois lados, tanto o lado técnico, como ter uma base sólida, para aumentar a promoção do desporto paralímpico", destacou em declarações a Record o brasileiro Andrew Parsons, líder do IPC desde setembro de 2017.

À margem da visita a Portugal, Parsons reuniu-se com Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, num encontro do qual saiu bastante satisfeito. "Conversámos sobre questões relativas à acessibilidade e à inclusão social. Foi uma visita de cortesia, porque também é importante entender o contexto em que os nossos países filiados estão e como podemos ajudar Portugal a desenvolver-se. Fiquei muito feliz com o trabalho de acessibilidade da cidade, pela evolução e por ter notado uma preocupação nesse sentido. Achei isso extremamente positivo", admitiu.

Para lá do encontro com Fernando Medina, Parsons estará ainda com o primeiro-ministro António Costa, mantendo uma procura que pretende solidificar, de se encontrar com as autoridades locais, "de modo a entender o contexto e ver como o IPC pode apoiar melhor cada comité".

Primeiros meses de muito trabalho

Eleito em setembro de 2017, Andrew Parsons não teve mãos a medir nestes primeiros tempos. "Foram seis meses de muito trabalho, com muitos pontos positivos. Começámos logo com os Jogos Paralímpicos de Inverno, onde conseguimos resolver a questão da venda de bilhetes. E, depois, fizemos a negociação com o COI, um parceiro nosso há muito, com o qual negociámos um acordo até 2032. Foi um acordo nos dá mais estabilidade financeira, algo que é fundamental para fazer crescer o movimento paralímpico, mas também porque nos aproxima de um organismo com o qual partilhamos a organização de Jogos", frisou. Quanto ao futuro, Parsons já tem o alvo definido. "Desenvolver os nossos membros, os comités nacionais, fazer com que eles possam ir para o próximo nível", admitiu, concretizando: "Este é só o começo. Temos muito trabalho pela frente para cumprir aquilo que nos propusemos fazer."

Elogios ao congresso de Braga

Presença confirmada no congresso que decorrerá em Braga sexta-feira e sábado, Andrew Parsons aplaudiu a iniciativa e admitiu que a realização deste tipo de eventos é fundamental para a promoção e evolução do movimento paralímpico no nosso país.

"O debate leva ao crescimento, não só do Comité Paralímpico, mas também da estrutura que está abaixo dele, sejam federações, clubes e atletas. É importante haver certos temas em debate, como por exemplo a classificação funcional, uma área que sei que o CPP quer investir. Este tipo de evento é fundamental e é um dos passos para o crescimento."

De resto, Parsons destaca igualmente a presença dos comités de todos os países que falam português. "É muito importante esse intercâmbio, para que possam traçar uma estratégia de apoio mútuo", finalizou.

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Paralímpicos

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.