Organização precisa de mais 54,6 milhões de euros

Dificuldades financeiras a três semanas do início

O comité organizador dos Jogos Olímpicos do Rio'2016 indicou esta quinta-feira que necessita de 200 milhões de reais (54,6 milhões de euros) adicionais para realizar os Jogos Paralímpicos "com o nível de serviços" previstos.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Rio2016 Mario Andrada justificou o défice com a fraca venda de ingressos e com um contributo de patrocinadores inferior ao esperado.

Dos 2,3 milhões de ingressos emitidos, apenas 300 mil (cerca de 12 por cento) foram vendidos.

Entretanto, um tribunal federal brasileiro levantou o 'congelamento' de fundos destinados aos Jogos Paralímpicos Rio2016, para garantir a realização do evento.

Na semana passada, o mesmo tribunal tinha retido a transferência de fundos para o evento, por considerar que todos os relatórios apresentados não eram credíveis sobre a forma como as verbas seriam canalizadas.

Este congelamento de fundos tinha impedido a organização dos Jogos Paralímpicos disponibilizar verbas a vários países, que lhes permitissem viajar até ao Rio de Janeiro, já que não dispunham de meios próprios para o fazer.

Face a esta situação, houve mesmo ameaças de países mais carenciados de não se deslocarem ao Rio de Janeiro para participarem nos Jogos Paralímpicos.

"Seria uma vergonha para o Brasil não fazer esses Jogos", disse na segunda-feira o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que se disponibilizou a canalizar 150 milhões de reais (42,4 milhões de euros) para cobrir parte do financiamento em falta.

Os Jogos Paralímpicos realizam-se de 7 a 18 de setembro, no Rio de Janeiro.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Paralímpicos

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.