Record

Marroquino detido diz nãocompreender acusações de assédio

Pugilista poderá falhar o seu combate

A Federação de Boxe de Marrocos afirmou este sábado que o pugilista olímpico Hassan Saada, detido no Brasil por suspeita de abuso sexual a duas mulheres, não entende as acusações de que está a ser alvo.

Segundo a polícia, o pugilista Hassan Saada, de 22 anos, chamou as duas mulheres ao seu apartamento na aldeia olímpica e, à frente de outros dois atletas, ter-lhes-á, acariciado as pernas e os seios, antes que estas conseguissem fugir.

Hassan Saada, que foi detido na quinta-feira à noite, está inscrito no torneio de -81kg e tem o primeiro combate agendado para este sábado, frente ao turco Mehmet Nadir Unal.

Segundo o jornal brasileiro O Globo, a polícia brasileira recusou o pedido de 'habeas corpus' apresentado pelo seu advogado de defesa, pelo que não poderá competir.

A federação marroquina confirma a presença das mulheres no apartamento, mas garante que as portas estavam abertas.
Por Lusa
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Boxe

Notícias

Notícias Mais Vistas

M