Record

David Rosa à procura de melhoraro 23.º posto de Londres'2012

Já Tiago Ferreira pretende oo top 20 no XCO

• Foto: Direitos reservados
David Rosa e Tiago Ferreira, que no domingo encerram a participação portuguesa nos Jogos Olímpicos Rio'2016, apontaram hoje a um lugar perto dos 20 primeiros como objetivo na prova de 'cross country' olímpico (XCO).

Repetente em Jogos Olímpicos, David Rosa não definiu um número concreto, indicando apenas que quer melhorar Londres'2012, onde foi 23.º na estreia.

"É um objetivo que me coloquei. Dada a minha evolução nos últimos quatro anos, penso que é possível. Vamos esperar que tenha um dia bom e encaixe bem na pista. Fiz o meu trabalho de casa, penso que estou na minha melhor forma de sempre, pelo menos os meus dados indicam isso. Agora, lá está, é um dia especial, tudo pode acontecer", disse, sem querer especificar qual o seu alvo preferencial na tabela.

Já Tiago Ferreira, recém-coroado campeão do Mundo de maratonas, outra vertente do BTT, ambiciona por uma classificação entre os 20 primeiros.

"Em termos de corridas, são completamente diferentes, no entanto há uma motivação extra vindo de ser campeão do mundo e vice-campeão da Europa de maratonas. A corrida que vi aqui não me é tão desfavorável quanto isso. Esperemos por um dia bom. O objetivo que estabeleci para mim próprio seria tentar fechar no 'top-20', agora vamos esperar", assumiu o viseense.

Estreante em Jogos Olímpicos, Tiago Ferreira, que viu o seu sonho tornado realidade - "é a minha primeira vez neste mundo olímpico e estou a adorar" -, considerou que ter dois representantes na prova de domingo é uma mais-valia, pese embora ser praticamente impossível trabalhar em equipa com o seu companheiro.

"As partidas são todas elas muito rápidas. É bom ter dois, era melhor ter três, mas creio que para a corrida não vai fazer grande diferença, porque não vamos conseguir fazer um trabalho conjunto", indicou.

Feito o reconhecimento da pista de 4,84 quilómetros, construída propositadamente para o Rio2016, David Rosa descreveu o percurso como "bastante rápido", com uma média superior ao normal.

"O índice técnico também é superior àquilo que era de esperar. Eu sempre disse que as filmagens enganavam e, de facto, enganam, porque é mais técnico do que parece. Em termos de altimetria, esperava que fosse mais duro e tivesse um pouco mais de subida, que houvesse ali pontos mais duros, que não existem. No entanto, a velocidade a que é feita a prova fará a diferença. Hoje já fiz uma volta a apertar mais e deu para ver essa exigência", explicou.

O ciclista de Leiria, de 29 anos, revelou também que a pista tem "muitos pontos técnicos e muitas armadilhas". "Se já não formos tão bem fisicamente, os nossos reflexos já não são tão bons, o que pode originar uma queda. Temos de fazer uma corrida bem gerida, conseguir encaixar bem nessas zonas mais técnicas, ter um pouquinho de folga para que o corpo consiga reagir a tempo e será também uma corrida de eliminação. Penso que se vão gerar ali grupos grandes e que com o decorrer da corrida vão ficar mais segmentados", realçou.

A prova de 'cross country' olímpico tem início às 12:30 locais (16:30 em Portugal continental) de domingo, encerrando a participação da missão portuguesa ao Rio'2016.
Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de BTT

Notícias

Notícias Mais Vistas

M