Honduras: Quando o míster é a arma secreta

Jorge Luis Pinto tem experiência, carisma e sabe o que é ganhar

• Foto: Paulo Calado

Os treinadores não marcam golos mas na maior parte dos casos são responsáveis pelo que de bom cada equipa é capaz de mostrar. Jorge Luis Pinto, o colombiano que orienta a seleção olímpica das Honduras, é um desses casos. Bem se pode dizer que a ‘arma secreta’ do adversário de hoje de Portugal no segundo jogo do Grupo D do Torneio Olímpico é mesmo o míster Pinto.

"É um treinador de provas dadas, muito ordenado no seu trabalho", define-o Guilherme Farinha, o treinador português que na viragem do século orientou a Liga Alajuelense, na Costa Rica, cedendo o comando da equipa precisamente a Jorge Luis Pinto, após dois títulos conquistados.

"Desde então mantemos contacto e sei que é um treinador rigoroso no seu trabalho, experiente e rigoroso", acrescenta Farinha no diálogo com Record. Os conhecimentos e a experiência de Pinto poderão ser decisivos para a campanha que a seleção das Honduras pode fazer no Rio de Janeiro e especialmente no embate de hoje com Portugal.

"É um homem com experiência dos grandes palcos e que sabe o que é vencer", recorda Guilherme Farinha. Na verdade, Pinto, de 63 anos, já conquistou troféus com equipas em quatro campeonatos diferentes: Costa Rica, Peru, Colômbia e Venezuela, além de estar a cumprir a quarta experiência à frente de uma seleção nacional, depois de duas passagens distintas pela Costa Rica e outra à frente da Colômbia.

Foi, aliás, ao comando da seleção de Costa Rica que se notabilizou há dois anos, no Mundial do Brasil, conduzindo os Ticos aos quartos-de-final da prova, apenas para serem eliminados no desempate por penáltis com a Holanda (depois de ter eliminado a Grécia, de Fernando Santos, também nos penáltis). Guilherme Farinha reconhece que pela forma de ser de Jorge Luís Pinto, as Honduras deverão hoje jogar "na especulação, à espera de um erro de Portugal, para tentar surpreender".

Nada, no entanto, que os portugueses, orientados por Rui Jorge, não possam ultrapassar, recorda Farinha, elogiando o trabalho do selecionador português. "É um ganhador e acredito que vai vencer este duelo com Pinto."

O trio que merece elogios do técnico

Atento a todos os detalhes, Jorge Luis Pinto observou ao vivo o Portugal-Argentina que se realizou depois de as Honduras terem vencido a Argélia. Mas a observação à equipa de Rui Jorge não se ficou por aqui. "Vimos o vídeo do jogo e analisámos os aspetos que queremos controlar. Portugal mostrou um grande futebol, confesso que me surpreendeu. Tem bons jogadores e, apesar das mudanças fez na convocatória, destaco Gonçalo Paciência e Salvador Agra, muito produtivos. E também Sérgio Oliveira", apontou o selecionador das Honduras. Mas Jorge Luis Pinto também puxou dos galões das Honduras. "O nosso futebol não é brilhante, no sentido de ter bola. Mas temos as nossas armas", atirou.

Por David Novo. Rio de Janeiro. Brasil
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Futebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.