Tamanisau: 23 golos sofridos não tiram o sorriso a este guarda-redes

A conversa de Record com o jogador das Ilhas Fiji

• Foto: Reuters

Simione Tamanisau passa pela zona mista do estádio Mineirão e Record pergunta-lhe se pode falar com ele. O guarda-redes das Ilhas Fiji aceita e, de imediato, esboça um sorriso. Não que esteja feliz por ter sofrido 10 golos da Alemanha - sem esquecer os 5 do México, mais 8 da Coreia do Sul - mas sim porque já está... habituado. "O futebol é uma paixão para mim e participar nos Jogos Olímpicos é o ponto alto de qualquer carreira. É dificil sofrer tantos golos mas temos de seguir em frente...", confessou.

Para a histórica ficam os 23 golos sofridos, mas nem tudo foi mau. "Ter os adeptos a gritar por nós compensa as derrotas pesadas. O público foi fantástico no Brasil, esteve sempre a apoiar-nos, parecia que estávamos a jogar em casa. Estamos muito agradecidos", contou.

Na despedida dos Jogos, Tamanisau sofreu... 10 golos da Alemanha
E é para casa que Tamanisau regressa agora, para a vida de antigamente: polícia de profissão e, ao mesmo tempo, guarda-redes semiprofissional no Rewa FC. "Tenho 31 anos, mas um guarda-redes por jogar até aos 40 ou mais. E se me derem oportunidade vou continuar a jogar", garantiu Tamanisau . E será que poderá fazê-lo noutro país, noutro campeonato mais competitivo? "Quem sabe... Resta-me ter esperança, rezar e jogar futebol. Não é fácil porque sofro muitos golos, mas garanto que dou sempre o meu melhor", assegurou.

Schmeichel e Kahn como ídolos

Os ídolos Peter Schmeichel e Oliver Kahn são revelados sem hesitação, o pior foi quando Record lhe perguntou se conhecia algum guarda-redes português. Como Rui Patrício, vencedor do Euro'2016. "Não sei quem é", respondeu Tamanisau. Então Record foi por outro lado: e guarda-redes a jogar em Portugal? "Casillas, claro. Conheço-o bem especialmente quando era o capitão do Real Madrid, o meu clube", atirou.

Era tempo de Tamanisau partir para o autocarro da equipa. A aventura está a acabar e ele não se cansa de repetir: "Foi uma honra estar nos Jogos Olímpicos". Sempre com um sorriso no rosto. Mesmo quando se sofre 23 golos em 3 jogos.

2
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Futebol

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0