Phelps não se afoga no Brasil

José Renato Santos é nadador-salvador e brinca com a situação

• Foto: EPA

Imagine que a meio da final dos 200 m mariposa, Michael Phelps vai ao fundo. Aí José Renato dos Santos salta para a água, resgata o atleta com mais medalhas em Jogos Olímpicos e torna-se um herói. Um cenário que pode parecer ridículo (sobretudo a parte de Phelps ir ao fundo...) mas a presença de José Renato Santos na piscina é bem real. Ele é um dos nadadores-salvadores que vão estar por estes dias na piscina principal, na de aquecimento e noutra existente na aldeia olímpica.

No Rio de Janeiro uma lei de 2001 obriga a que todas as piscinas com mais de 6 m2 tenham de ter um nadador-salvador. Mesmo aquelas onde estão os melhores atletas do Mundo. "Acho que ninguém aqui vai precisar de mim", reconheceu José Renato Santos, de 33 anos, à Globo. Fã de Phelps, não vê a hora de conhecer o ídolo. "Sou fã do cara, e se não houver problema, quero tirar uma ‘fotinha’ com ele". Seja como for, vai assistir a toda a competição na primeira linha... "Nem acredito, há gente que paga uma fortuna para estar aqui e eu vou ver tudo de perto. Sinto-me abençoado."

Por Isabel Dantas
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Natação

Confiar no processo

Portugal entra forte em Tóquio, na perseguição de uma histórica final que ‘escapa’ desde 1984

Notícias

Notícias Mais Vistas