Paulo Jorge Pereira: «No Mundial errámos, pensámos na medalha e acabámos por ficar em 10.º»

Selecionador de andebol ambiciona medalha olímpica mas quer "pensar numa coisa de cada vez"

• Foto: Carlos Barroso

O selecionador nacional de andebol, Paulo Jorge Pereira, admitiu este sábado que Portugal viaja para Tóquio'2020 com a ambição de chegar às medalhas, mas frisou que não quer cometer o mesmo erro do Mundial da modalidade.

"Sonhamos com a medalha, mas o mais importante é passarmos a primeira fase. Um erro que cometemos no Mundial, e que assumo, é ter pensado no final das coisas e deixarmos de pensar no processo. Para já, é o Egito e, depois, pensar uma coisa de cada vez, pensar o processo, no presente. No Mundial, errámos, pensámos na medalha e acabámos por ficar em 10.º", lembrou o selecionador.

Paulo Jorge Pereira destacou a importância de começar a aventura olímpica com um triunfo, frente ao Egito, num grupo que classificou como "difícil". "O jogo com o Egito vai ser decisivo, pois é uma equipa que pode ganhar a qualquer adversário. Além disso, temos no nosso grupo a campeã [Dinamarca] e vice-campeã [Suécia] mundial. Portanto, temos uma missão muito difícil. Mas também temos consciência de que podemos vencer qualquer seleção", afirmou confiante o treinador.

No braço direito, o selecionador tatuou o símbolo olímpico com as palavras Tóquio 2021 e uma menção a Alfredo Quintana. Uma forma, admitiu, de ter sempre presente o guarda-redes que faleceu no início deste ano devido a uma paragem cardiorrespiratória. 

"A situação com o Alfredo vai ficar connosco para toda a vida. A tatuagem é apenas uma representação, mas ele vai estar connosco para sempre", concluiu.

Já Humberto Gomes, guarda-redes da equipa das quinas, disse aos jornalistas que a equipa parte para o Japão com um sentimento de "responsabilidade" e sabendo que tem pela frente "um grupo complicado". Mesmo assim, ambição é a palavra que melhor define o estado de espírito da equipa.

"Como até aqui, vamos honrar a camisola de Portugal, continuar este sonho e tentar ganhar uma medalha. Vamos ter jogos muito complicados, mas dentro de campo somos todos iguais e vamos fazer tudo para ganhar", prometeu o jogador de 43 anos, que na sua estreia olímpica quer "desfrutar imenso e tentar ajudar Portugal o máximo possível".

Depois do cancelamento do voo que levaria a equipa portuguesa para Tóquio ao início da manhã, devido à greve da Groundforce, a equipa de andebol lusa segue viagem esta tarde para o Japão.

Portugal vai defrontar nos Jogos Olímpicos as seleções do Egito, no próximo sábado, dia 24 de julho, Bahrain (26), Suécia (28), Dinamarca (30) e Japão (1 de agosto), no Ginásio Nacional Yoyogi, em Tóquio, sendo que os quatro primeiros colocados qualificam-se para a ronda eliminatória.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Andebol

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.