Namorada de Nelson Évora: «Muita gente vai ficar f... por Espanha ter dois medalhados negros»

Ana Peleteiro sublinha a "mudança" nas mentalidades, dizendo que a "mistura" de culturas "enriquece o país"

• Foto: Reuters

Ana Peleteiro, namorada de Nelson Évora e bronze no triplo salto, categoria onde competiu frente à portuguesa Patrícia Mamona, medalha de prata, sublinhou a importância de Espanha ter alcançado duas medalhas no mesmo dia por atletas negros (Rayderley Zapata conquistou o segundo lugar no solo, na ginástica artística), afirmando que "muita gente vai ficar f...", mas que é um "sinal de mudança". A triplista espanhola falou ainda sobre a importância do parceiro no seu percurso, e elogiou a nova campeã olímpica e recordista do mundo, Yulimar Rojas.

"Muita gente vai ficar f... por Espanha ter dois atletas negros medalhados, mas é um sinal de mudança. De que esta mistura é muito boa, enriquece um país, que é do melhor que há. Quem não quer ver isso é um tonto, não há nada mais lindo do que misturar duas coisas bonitas", explicou em declarações ao 'El Mundo', antes de se referir a Nelson Évora, triplista português que, esta terça-feira, disse adeus ao Jogos Olímpicos depois de se lesionar na virilha no primeiro ensaio.

"O meu namorado, Nelson, sempre me disse: 'Quando fui campeão olímpico, a minha vida mudou'. Eu não sou campeã, mas sou medalhada, e apesar de ainda não ter ideia de como pode mudar, já consigo imaginar. Agora as pessoas não me vão conhecer só pela televisão ou pelo Instagram, vão conhecer-me pelo meu trabalho. Que a tua vida mude graças ao teu trabalho é aquilo que toda a gente deseja. Vou continuar a ser a mesma pessoa, apesar de já ter passado por momentos em que não soube gerir estas coisas".

Questionada sobre se teve alguma conversa com a nova campeã olímpica, Yulimar Rojas, Peleteiro só tem elogios: "Com a Yulimar estamos todo o dia a rir. Fomos juntas para a cerimónia das medalhas, comemos juntas. Para mim, é uma sorte treinar com ela e uma sorte ter nascido na mesma altura que ela. Poderia estar chateada e achar que era uma chatice termos coincidido, mas é precisamente o contrário. Ela faz com que todas cresçamos. Está em outra galáxia, isso é óbvio, mas se eu trabalhar um pouco mais, se cuidar um pouco mais de mim, se me esforçar um pouco mais, quem sabe também estarei em outro planeta? Todas temos dias bons e dias maus. Espero que toda a gente a aprecie, só nasce uma atleta assim a cada 100 anos", rematou.

Por Record
40
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Atletismo

Notícias