Nelson Évora agradece apoio e confiança: «Não me exigiram medalhas»

À partida para Tóquio, atleta teve "primeira prova engraçada e caricata"... logo no check-in do aeroporto

• Foto: DR

O atleta Nelson Évora agradeceu esta sexta-feira o apoio e confiança dos portugueses na sua prestação na prova de triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio'2020, sem sentir a exigência de medalhas, após o 'ouro' de Pequim'2008.

De partida para o Japão, rumo à sua quarta participação olímpica, marcada pelo triunfo na capital chinesa, um sexto lugar no Rio'2016 e 40.º em Atenas'2004, Nelson Évora falou aos jornalistas no aeroporto de Lisboa, num espaço montado pelo Comité Olímpico de Portugal (COP), de apoio aos atletas olímpicos.

"Eu trabalho para a excelência, sempre trabalhei. É bom sentir o carinho de todos e, nestes últimos meses, tenho a agradecer todas as mensagens dos portugueses, porque não me exigiram medalhas. Disseram-me: 'Nelson, independentemente do que faças lá, muito obrigado'. Isso para mim é a melhor mensagem de apoio que me podem dar. Não senti que esperam algo de mim, mas senti que confiam em mim. Então, vou sempre dar o meu melhor para as pessoas que confiam em mim", expressou o atleta.

Qualificado através do 28.º lugar que ocupa no ranking masculino do triplo salto, Nelson Évora, que atualmente representa os espanhóis do Barcelona, garantiu estar "em boa forma", apesar deste "período de dois anos um pouco diferente do normal".

"Parto com pensamento positivo e com o mesmo espírito de sempre, de chegar, passar a fase mais difícil, que é a de qualificação, e, na final, fazer o melhor salto possível e desfrutar ao máximo do aspeto competitivo", apontou Nelson Évora, de 37 anos, que realçou que estar presente em mais um evento olímpico "já é um orgulho".

Nelson Évora será um dos porta-estandartes de Portugal na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, ao lado da judoca Telma Monteiro, num convite que "não esperava", tendo ficado "impactado pela positiva", o que se traduziu numa grande satisfação.

Estes Jogos ficam marcados por fortes restrições provocadas pela pandemia de covid-19, que afastou o público das bancadas dos recintos desportivos que acolherão provas, as quais Nelson Évora já teve um primeiro contacto no momento de fazer o 'check-in'.

"Tive de responder a uma lista enorme de questionários. Foi uma primeira prova engraçada e caricata para Tóquio. Vai ser muita documentação, muitos testes PCR, vai ser sempre complicado qualquer etapa que tenhamos daqui para a frente, mas há que manter a boa disposição, passar tudo isto e fazer o melhor possível", disse o triplista.

Num evento previsto para 2020 e que foi adiado em um ano devido à pandemia, Nelson Évora considerou que "foi bem feito esperar um ano, pois agora já existem vacinas", embora sem surtir "nenhum efeito positivo", dada a ausência de público.

Portugal vai estar representado por 92 atletas, em 17 modalidades, nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que vão ser disputados entre 23 de julho e 08 de agosto.

 

DYRP // PFO

Lusa/Fim

Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Atletismo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.