Pugilista francês perde a cabeça e dá murro em câmara após combate

Mourad Aliev não gostou da decisão do juiz e descarregou a sua fúria

O combate entre o britânico Frazer Clarke e o francês Mourad Aliev, dos quartos-de-final da categoria +91 kg dos Jogos Olímpicos Tóquio'2020, ficou marcado por uma cena pouco vista em eventos desta magnitude, onde o fair play costuma ser nota dominante. Tudo aconteceu no final do segundo assalto da luta, quando o lutador gaulês perdeu completamente a cabeça com uma decisão do juiz, protestou de forma veemente e ainda descarregou a sua fúria numa câmara, dando-lhe um murro em gesto de raiva.

A fúria do lutador francês deveu-se à decisão do juiz em desqualifá-lo do combate, por conta de este ter ignorado uma advertência e ter acertado uma cabeçada no oponente quando este já sangrava do rosto. Irritado com a decisão, Aliev protestou a decisão, gritou que tinha ganho por várias ocasiões, fez gestos de protesto e, após o anúncio do vencedor da luta, descarregou ainda a sua raiva numa câmara que estava ali ao lado a cobrir o combate. O francês não se ficou por aqui no seu protesto. Sentou-se no ringue e ali se manteve durante mais de meia hora, deixando a arena após uma conversa com uns elementos da organização.

"É totalmente injusto, eu estava a ganhar! Fui travado sem qualquer advertência e ele disse-me simplesmente 'perdeste'. Foi um ato de sabotagem...", atirou o lutador francês de 26 anos, que tinha vencido o primeiro round por 3-2. "Preparei-me para este evento com a vida, por isso a minha fúria é algo natural", acrescentou o gaulês, que não conseguiu fazer valer os seus protestos e acabou mesmo afastado do torneio de boxe olímpico.

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Boxe

Notícias