Fernando Pimenta de regresso a Portugal: «Só hoje percebi o quão perto estive da prata»

Medalha de bronze em canoagem em K1 1.000 diz ainda estar a sentir o "peso da medalha" e não esconde a ambição de conquistar mais

A carregar o vídeo ...
«Ainda estou a sentir o peso da medalha»: Fernando Pimenta chega a Lisboa após conquista do bronze

Fernando Pimenta chegou esta quarta-feira de manhã a Portugal. No aeroporto de Lisboa, onde fez escala antes de rumar ao Porto, o canoísta, medalha de prata em K1 1.000 em Tóquio'2020, não escondeu o orgulho.

"Não estava a contar, ainda não estou a acreditar muito bem no momento. Ainda estou a sentir o peso da medalha... Ainda não deu para rever a regata. Só hoje percebi o quão perto estive da prata. Ainda não estou dentro da realidade. Ontem foi subir ao pódio, ir ao teste do doping, correr para a aldeia olímpica para fazer a mala e viajar. Na história já estava, através do curriculo e no currículo olímpico ainda posso acrescentar mais alguma coisa", afirmou aos jornalistas.

"A ambição é querer sempre mais. Fiquei feliz com o bronze. Ja andava à procura, no Rio fugiu [foi prata em K2 1.000], por motivos alheios a mim e à minha condição física, e conseguir este pódio foi muito importante. Ainda tenho muito a dar ao desporto nacional. Nunca estou satifeito, na minha cabeça quero sempre melhor, ser mais rápido na chegada à meta".

"Quando saí daqui [rumo aos Jogos Olímpicos], referi que já tinha a minha medalha - a minha filha. No futuro vai orgulhar-se muito de mim. Quero incentivá-la, bem como a todos os mais novos - a procurarem superar-se, a terem objetivos de vida, senão não andamos cá a fazer nada".

"Antes do foco em Paris'2024 ainda tenho objetivos a curto prazo. Em Setembro tenho os campeonatos do mundo, mas Paris já está na mente. Até ao final da semana, o treinador dá-me rédea solta - mas não é parar! - , mas sem pressão de bater tempos. Só depois dos campeonatos do mundo é que vou fazer o defeso e preparar a próxima época".

"A mensagem para os benfiquistas e para toda a gente é a mesma: sejam autênticos, procurem ter gente com energia positiva à volta, focar nos objetivos e nos da equipa e não fazer chacota de outros. Portugal pode ser uma grande potência do desporto, basta haver incentivo e apoio, e que se continue a trabalhar. Não ouvirem quem diz 'não vamos conseguir'. O impossível está na nossa cabeça".

Por Record
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Canoagem

Notícias