Governo japonês condena atitude antissemitista do ex-diretor da Cerimónia de Abertura

Kentaro Kobayashi demitiu-se após a divulgação dos conteúdos de um espetáculo em 1998

As piadas antissemitas proferidas pelo comediante japonês Kentaro Kobayashi, ex-diretor da Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que se demitiu após a divulgação dos conteúdos de um espetáculo em 1998, foram esta quinta-feira criticadas pelo executivo do Japão.

"Veio a público que o senhor Kentaro Kobayashi, que está associado com os Jogos de Tóquio2020, gozou no passado com o Holocausto. A tragédia do Holocausto foi uma atrocidade sem precedentes na história humana. As afirmações feitas pelo senhor Kobayashi, independentemente do seu contexto ou situação, são profundamente ofensivas e inaceitáveis", assinalou em comunicado enviado à Lusa pela Embaixada do Japão o ministro dos Negócios Estrangeiros nipónico, Motegi Toshimitsu.

E acrescentou: "Estas declarações também vão completamente contra o valor da unidade que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos representam, e contra o nosso objetivo de atingir uma sociedade em que todos possam viver em harmonia".

Segundo o governante japonês, a presidente do Comité Organizador de Tóquio2020, Hashimoto Seiko, anunciou que o organismo despediu imediatamente Kobayashi assim que vieram a público as suas declarações passadas, tendo apresentado as suas mais sinceras desculpas.

"O governo do Japão, pela sua parte, vai continuar a fazer tudo o que está ao seu alcance para assegurar que os Jogos Tóquio2020 vão representar fidedignamente o espírito Olímpico e Paralímpico", lê-se na mensagem do ministro japonês.

A Embaixada do Japão divulgou ainda uma outra nota, com uma mensagem de pedido de desculpas do comediante Kentaro Kobayashi, que saiu da organização.

Kobayashi, humorista e encenador, renunciou ao cargo após terem sido trazidos à luz comentários que agora considera "inapropriados", confirmou a presidente dos Jogos, Seiko Hashimoto, em conferência de imprensa.

O novo 'escândalo' em torno dos Jogos chega a um dia da própria cerimónia, seguindo-se a vários protestos contra o envolvimento do comediante, de 48 anos, que hoje pediu desculpa pelos comentários feitos "quando era jovem".

Os organizadores discutem agora "como gerir a Cerimónia de Abertura", um processo que "deve ser imaculado", com Kobayashi a ter a seu cargo, até aqui, a supervisão geral das três secções do espetáculo, que se junta à abertura dos Jogos e à parada de nações.

Esta nem sequer é a única polémica com a sessão inaugural, já que ainda esta semana foi o compositor designado, o músico Keigo Oyamada, conhecido por Cornelius, a demitir-se, devido a um 'escândalo' com bullying que o próprio dirigiu a pessoas com deficiência.

O antigo presidente do Comité Organizador, Yoshiro Mori, abandonou o cargo após comentários sexistas, e o diretor criativo Hiroshi Sasaki renunciou, após comparar uma atriz a um porco.

A Cerimónia de Abertura de Tóquio2020 está marcada para sexta-feira, pelas 20:00 locais (12:00 de Lisboa), no Estádio Nacional, na capital nipónica.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 vão ser disputados entre sexta-feira e 08 de agosto, após o adiamento em um ano devido à pandemia de covid-19.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Tóquio 2020

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.