Nuno Delgado recorda Fernando Lima Bello, de quem recebeu medalha em Sydney'2000

Antigo membro do Comité Olímpico Internacional morreu esta quinta-feira aos 89 anos

• Foto: Pedro Ferreira
O antigo judoca Nuno Delgado recordou que "a última coisa que esperava" era receber a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sydney2000 das mãos de um português, Fernando Lima Bello, que morreu esta quinta-feira aos 89 anos.

"Com toda a humildade, naquela altura, com 22 anos, não sabia quem era o Fernando Lima Bello e, quando ele se aproximou de mim, para me colocar a medalha, dirigindo-me palavras em português, dando-me os parabéns e expressando o orgulho, fiquei altamente surpreendido, porque a última coisa que esperava era ser recebido olimpicamente em pódio, por um português", admitiu Nuno Delgado, em declarações à agência Lusa.

Em 19 de setembro de 2000, Nuno Delgado terminou na terceira posição a competição de judo na categoria de -81 kg, assegurando a primeira medalha olímpica lusa na modalidade. A segunda foi conquistada por Telma Monteiro, em -57 kg, no Rio2016.

"Claro que, depois disso, criámos uma amizade e uma intimidade muito grande, até com os seus familiares, que nos últimos tempos o acompanhavam. Espero que isso não volte a acontecer, que outros medalhados olímpicos saibam quem foi Fernando Lima Bello, toda a sua história e todo o seu legado", recordou o antigo judoca.

O antigo membro do Comité Olímpico Internacional (COI), entre 1989 e 2010, tendo sido o primeiro elemento a abdicar antes do limite de idade de 80 anos, quando lhe foi diagnosticado Alzheimer, assumindo, depois, o cargo de membro honorário no organismo olímpico internacional.

"O engenheiro Lima Bello é e foi o único membro do COI que Portugal teve e, logo aí, explica a importância do seu passado para o movimento olímpico e para a vela, modalidade em que foi praticante de excelência. Para mim, foi um grande mentor, porque fez questão de me entregar a medalha olímpica", realçou Nuno Delgado.

O antigo judoca recordou que a "história olímpica portuguesa raramente se fez ao nível do dirigismo internacional", tanto que "Portugal nunca mais voltou a ter um representante ao mais alto nível no COI".

"Era sem dúvida uma grande referência e, agora, em ano olímpico, cabe-nos projetar o seu legado e fazer com que as novas gerações não esqueçam o grande senhor do olimpismo e da vela portuguesa. Para sabermos para onde vamos, temos de saber de onde viemos, e conhecer a história de Fernando Lima Bello é uma ótima maneira de traçar os melhores caminhos para o desporto", vincou.

Nuno Delgado apontou uma possível forma de exaltar Lima Bello: "Talvez a melhor homenagem que lhe possam fazer é que em Tóquio2020 os nossos atletas alcancem bons resultados e recebam, agora não fisicamente, mas em espírito, as medalhas deste grande homem da nossa história desportiva."

O antigo judoca apresentou ainda as condolências à família de Lima Bello, ao COI e ao COP, em nome da iniciativa Lisboa capital europeia do desporto, da qual é chefe de missão.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Judo

Notícias

Notícias Mais Vistas