Presidente da República define judoca Jorge Fonseca como um "duplo vencedor"

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou a batalha que o atleta, que se sagrou campeão mundial, travou contra a doença

• Foto: Reuters

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, definiu esta quinta-feira o judoca Jorge Fonseca como um "duplo vencedor", ao lembrar a batalha que o atleta travou contra a doença, numa carreira em que, depois disso, foi campeão mundial.

"Hoje, temos um exemplo excecional de um duplo vencedor, porque ganha no desporto e ganha na vida. Às vezes isso não acontece, ganha-se na vida, mas não se ganha no desporto", começou por dizer o Presidente da República, ao apresentar o judoca aos jovens presentes no Palácio de Belém.

Jorge Fonseca, que se tornou em agosto o primeiro português campeão mundial de judo, na categoria de -100 kg, foi o segundo convidado do programa 'Desportistas no Palácio', a seguir a Rosa Mota, num evento em que os atletas contam as suas experiências na vida e no desporto a jovens de várias escolas.

Marcelo Rebelo de Sousa reiterou os elogios ao judoca, explicando que, no caso de Jorge Fonseca, os "problemas na vida" - quando lhe foi diagnosticado em 2015 um tumor numa perna - poderiam ter colocado em risco a carreira desportiva.

"Há aqueles que têm problemas na vida - e o Jorge vai contar-vos como foi -, mais difíceis do que o comum dos mortais e, muito raros, quando se trata de um desportista", lembrou o Presidente da República, enaltecendo a superação e resultados do atleta.

Foi quase uma hora de conversa com os estudantes provenientes de Seixal, Caldas da Rainha e Lisboa, em que respondeu a quase tudo, desde o facto de ter sido pai aos 17 anos, ao papel fundamental da mãe ou à importância do treinador, Pedro Soares, a quem vê como uma figura paterna.

No final, o judoca revelou ainda estar a lidar bem com o mediatismo que o título mundial lhe trouxe, mas admitiu que se prepara já para uma nova fase e objetivos: "É muito bom aproveitar a atenção e o mimo, mas está na altura de começar a desligar".

"Vou para os Jogos Olímpicos [Tóquio2020] para fazer um grande resultado. Quero ser campeão olímpico, pode ser em Tóquio, ou a seguir, mas neste momento sinto que posso encarar os Jogos de frente, posso chegar ao pódio", justificou o judoca.

Na seleção, tal como no Sporting - clube a que, garantiu, continuará ligado durante muitos anos -, o judoca disse ter uma boa relação com todos, acreditando que o "judo português ainda vai crescer muito".

A próxima sessão do programa desportistas no Palácio, iniciativa que termina em 10 de dezembro com o piloto Miguel Oliveira, está marcada para 22 de outubro e terá como oradores o velejador João Rodrigues, na parte da manhã, e a judoca Telma Monteiro, na parte da tarde.

O programa contará ainda ao longo de três meses com nomes como o antigo futebolista Luís Figo, a velejadora Joana Pratas, o tenista João Sousa, o surfista Frederico Morais, os atletas Patrícia Mamona e Nélson Évora, a piloto Elisabete Jacinto, o hoquista Ângelo Girão e a basquetebolista Ticha Penicheiro.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Judo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.