Record

Citroën C5 Aircross híbrido terá 50 km de autonomia e 225 cv

Modelo já está à venda no mercado chinês

A Citroën acaba de mostrar o C5 Aircross Hybrid Concept, um protótipo que antecipa a variante híbrida "plug-in" do C5 Aircross que foi apresentado na Europa no final do mês de Maio e que já está à venda no mercado chinês.

Este será o primeiro híbrido "plug-in" da Citroën e tem chegada prevista ao mercado para o início de 2020, um ano depois do C5 Aircross "convencional", que se estreia na Europa em Janeiro do próximo ano.

Este modelo, ainda que por enquanto não passe de um protótipo, marca o início do primeiro capítulo da estratégia "Low Emission Vehicle" da Citroën, que a partir de 2020 fará com que todos os modelos lançados pela marca gaulesa tenham algum tipo de electrificação. O objectivo é que em 2025 toda a gama da marca seja 100% eléctrica.

Apesar de ser um protótipo, a imagem deste C5 Aircross Hybrid é em tudo semelhante ao C5 Aricross "normal", sendo que as únicas alterações estéticas relevantes são os detalhes azuis nos pára-choques, nos "Airbumps" laterais e claro, na decoração da carroçaria que combina detalhes azuis e verdes por cima de uma base branca.

Os apontamentos em azul também transitaram para o habitáculo, ainda que passem bastante despercebidos. O habitáculo tem a mesma configuração do C5 Aircross e é marcado por um painel de instrumentos digital de 12,3 polegadas e um ecrã central táctil de oito polegadas.

A maior diferença está, obviamente, no sistema propulsor. Este protótipo híbrido combina um motor a gasolina 1.6 PureTech de 180 cv com um motor eléctrico de 80 kW, garantindo uma potência combinada de 225 cv. Este sistema surge associado a uma caixa automática de oito relações e-EAT8 especialmente desenvolvida para sistemas híbridos.

Em modo 100 por cento eléctrico, o Citroën C5 Aicross Hybrid Concept tem uma autonomia de 50 quilómetros, fruto da bateria de iões de lítio de 200 volts e 13,2 kW/h de capacidade. Porém, neste modo a velocidade máxima está limitada a 135 km/h. A Citroën reivindica um consumo de 2 litros/100 km e emissões abaixo dos 50 gramas/km de CO2.

Este protótipo conta ainda com um segundo propulsor eléctrico que faz as vezes de alternador ou motor de arranque, bem como um sistema de travagem com assistência eléctrica que permite aproveitar a energia gerada nas travagens e nas desacelerações.

É certo que ainda devemos olhar para este protótipo como uma espécie de "aperitivo" para a versão final, mas não há dúvidas que será um modelo fundamental para a electrificação da Citroën e do grupo PSA, que amanhã apresenta o DS3 Crossback, o primeiro modelo 100 por cento eléctrico do grupo, e que no Verão terá a versão híbrida "plug-in" do DS7 Crossback no mercado.

Autor: Aquela Máquina

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Motores

Notícias

Notícias Mais Vistas

M