Hamilton frustrado no GP da Austrália: «Nada do que fazemos parece resultar»

Britânico tinha conquistado a pole position do GP nos últimos cinco anos que hoje foi para Leclerc

• Foto: Reuters
O piloto monegasco Charles Leclerc (Ferrari) conquistou este sábado a pole position para o Grande Prémio da Austrália de Fórmula 1, a segunda em três corridas da temporada.

Leclerc bateu o campeão mundial, o holandês Max Verstappen (Red Bull), já ao 'cair do pano', com o tempo de 1.17,868 minutos, batendo o piloto da Red Bull por 0,286 segundos.

O mexicano Sérgio Pérez (Red Bull) foi o terceiro, a 0,372 segundos.

A sessão de qualificação, disputada esta manhã, ficou marcada por duas interrupções provocadas por acidentes.

Choque de Latifi e Lance Stroll nos treinos da F1 na Austrália: «F..., o carro está destruído!»

O primeiro aconteceu ainda na primeira fase, a Q1, quando os canadianos Lance Stroll (Aston Martin) e Nicholas Latifi (Williams) bateram.

Os dois circulavam a baixa velocidade numa volta de lançamento e, na curva 5, Latifi deixou passar Stroll, que, de repente, guinou para a direita perante a aproximação a alta velocidade do japonês Yuki Tsunoda (Alpha Tauri), que vinha numa volta lançada.

A sessão teve de ser interrompida por alguns minutos para tirar os detritos da pista.

Luta de Fernando Alonso pela pole position no GP da Austrália acaba... contra um muro

Já na Q3, foi uma saída de pista do espanhol Fernando Alonso (Alpine) a obrigar a uma interrupção de quase 15 minutos.

O antigo campeão mundial em 2005 e 2006 queixou-se, via rádio, de ter ficado "sem sistema hidráulico" e de não ter conseguido "reduzir a mudança".

Os atrasos levaram a que a sessão se estendesse para o final do dia na Austrália, com o sol já demasiado baixo e alguns pilotos a queixarem-se de falta de visibilidade, pedindo viseiras escuras para o capacete.

"Era muito difícil ver os limites da pista devido ao sol", disse o autor da 'pole'.

No reatamento da sessão após o acidente de Alonso (que coloca o espanhol no 10.º lugar da grelha), Sérgio Pérez optou por sair mais cedo para a pista de forma a poder fazer duas tentativas de voltas rápidas, enquanto os adversários fizeram apenas uma.

O espanhol acabou por fechar na terceira posição, batido pelo companheiro de equipa, Max Verstappen, e por Charles Leclerc, que fez o melhor tempo já nos derradeiros segundos da sessão.

O britânico Lando Norris (McLaren) foi o quarto, a 0,835 segundos, seguido dos compatriotas Lewis Hamilton (Mercedes) e George Russell (Mercedes), com o australiano Daniel Ricciardo (McLaren) em sétimo, todos já a cerca de um segundo do autor da 'pole' e todos com motores Mercedes, uma indicação de alguma melhoria dos propulsores germânicos.

Ainda assim, Lewis Hamilton viu-se batido em qualificação neste circuito pela primeira vez desde 2013.

"Nada do que fazemos parece resultar", disse o antigo campeão, admitindo que será "muito complicado aguentar os Ferrari" na corrida.

Carlos Sainz cometeu um erro e não foi além da nona posição.

Max Verstappen revelou não estar satisfeito com a afinação do Red Bull.

"O carro andava por todo o lado. Senti dificuldades ao longo de todo o fim de semana. O segundo lugar não é mau, mas falta-me confiança com o carro. Tentámos coisas diferentes, mas ainda não encontrámos o ponto", explicou.

O Grande Prémio da Austrália é a terceira prova do Mundial.

Charles Leclerc lidera o campeonato, com 45 pontos, mais 12 do que Sainz e 20 do que Verstappen.

A corrida, de 58 voltas, disputa-se no domingo, às 06:00 de Lisboa.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Fórmula 1

Notícias

Notícias Mais Vistas