Leclerc e Verstappen explicam por que não se ajoelharam contra o racismo no GP da Áustria

Pilotos recorreram às redes sociais para explicar posição tomada ainda antes do início da corrida

Charles Leclerc (Ferrari) e Max Verstappen (Red Bull) não estiveram presentes no movimento contra o racismo - o habitual joelho direito no chão - antes do início do Grande Prémio da Áustria, que decorreu este domingo.

Pilotos de F1 protestaram contra o racismo, mas houve seis que não se ajoelharam

Antes do início da corrida, os dois pilotos de Fórmula recorreram às redes sociais para justificarem as suas posições, com ambos afirmando que estão a favor da luta pela igualdade.

"Creio que aquilo que realmente importa são mais os comportamentos que temos diariamente do que propriamente os gestos formais que podem parecer controversos em alguns países. O facto de não ter colocado o meu joelho no chão não significa que eu não me identifique com a luta contra o racismo", escreveu Charles Leclerc, na sua página oficial do Twitter.







Já Max Verstappen apelou ao "direito de expressão" para justificar a sua ausência do momento. "Estou inteiramente comprometido com a luta pela igualdade e contra o racismo. Mas acredito que cada um tem o direito de se expressar onde e quando quiser. Eu não vou colocar o meu joelho no chão hoje, mas respeito a posição de todos", escreveu o holandês, também no Twitter.

Por Sérgio Magalhães
20
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fórmula 1

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0