Mulher condenada a três anos de prisão no Bahrein por criticar Fórmula 1

Anunciou o Instituto para os Direitos Humanos e Democracia daquele país

• Foto: Reuters

Um tribunal do Bahrein condenou esta segunda-feira a três anos de prisão uma ativista que tinha criticado na internet o Grande Prémio de Fórmula 1 que decorreu no país, anunciou o Instituto para os Direitos Humanos e Democracia do Bahrein.

Em comunicado, o instituto defendeu que se trata de um caso político contra Najah Ahmed Yusef, a quem o Ministério Público do Bahrein acusa de incentivar para "derrubar o regime político e sistema social" do país através dos seus comentários na rede social Facebook.

A ONG solicitou a sua libertação e a uma investigação por alegadas torturas que sofreu quando esteve detida em abril de 2017.

Nayah Ahmed Yusef diz que foi abusada sexualmente, maltratada física e psicologicamente durante os interrogatórios a que foi submetida depois da sua entrevista, salientando que foi obrigada a assinar uma confissão falsa.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fórmula 1

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.