Circuito de Portimão preparado para novos voos

Mundial de Superbike levou mais de 41 mil pessoas ao autódromo

• Foto: WordSBK

O Autódromo Internacional do Algarve (AIA) recebeu uma autêntica enchente no passado fim-de-semana. Mais de 41 mil pessoas estiveram presentes para assistir ao Mundial de Superbike (SBK). Um número que anima e abre boas perspetivas a Paulo Pinheiro, responsável pelo complexo.

"Desde que fazemos o campeonato do mundo de SBK que não recebíamos tantas pessoas. A não ser o ano de estreia em 2008, claro. Surpreendeu e superou as nossas expetativas e tivemos até alguns pequenos problemas logísticos por causa disso. O balanço é muito positivo", explicou a Record. "Não esquecer que não há nenhum piloto português a correr numa prova destas. Considerando tudo isto, acho que a afluência registada neste dias é prova que o investimento que fizemos em termos de promoção do evento funcionou muito bem. O resultado foi excelente", justificou. 

Não é de facto frequente ver tantas pessoas num circuito para assistir a uma corrida pouco popular em Portugal. Mas o fim-de-semana parece ter revelado uma mudança no estado de espírito dos adeptos do motociclismo em Portugal. Será que a paixão pelo desporto motorizado voltou em grande?

"Nós achamos que sim. Desde que o Miguel Oliveira passou a assumir o estatuto de piloto de topo e a ganhar corridas, que voltou a haver paixão pelos motores", respondeu. "Acho que já merecíamos ter uma corrida de MotoGP. O Miguel merece e o país também", atirou. "O Mundial SBK é um excelente pontapé de saída para outros voos e esperamos que a próxima corrida seja ainda maior", acrescentou.

Embora implique outros orçamentos, Paulo Pinheiro assume a vontade de receber provas de maior calibre. 

"Nunca escondemos que gostaríamos de receber aqui no AIA, uma prova de MotoGP e Fórmula 1. O circuito foi feito para isso, está preparado e dimensionado para isso", garantiu. "Neste momento temos contrato de três anos com as SuperBike que é a corrida maior dimensão que temos. Os pilotos são de altíssimo nível, o nível das motos é fantástico e o ritmo destas é equiparado aos da MotoGP. Acho que não é um campeonato de segunda linha, é apenas um campeonato diferente e está a ficar cada vez melhor", explicou.

Portimão deverá manter uma data aproximada no próximo ano para receber novamente o Mundial SBK. Além disso, haverá apenas algumas arestas por limar.

"Não me recordo de ver o paddock com tantas pessoas. A maioria estava concentrada lá, muito graças à organização do Mundial e o aumento de qualidade. Este ano permitimos o acesso à torre VIP a quem tinha bilhete paddock. O desafio agora é tentar criar atividades nas bancadas. Um bilhete único que ajude o controlo de público e facilitar os acessos", assegurou.

Outros aspetos a melhorar estão relacionados com a própria pista. O circuito revela alguns desníveis e ressaltos que dificultam ainda mais o nível deste. 

"Temos uma taxa de ocupação da pista continuamente elevada. Este ano recebemos novamente os testes F1 e esses carros carregam muito e induzem stress no asfalto", justificou. "Sabemos quais os pontos a melhorar. Este ano requalificamos a reta principal. Estava programado em agosto fazer a reta interior e a zona Craig Jones e não conseguimos fazê-lo por causa da ocupação da pista. Faremos as alterações este inverno para em janeiro ter a pista toda ao nível desejado para receber novos testes", garantiu.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Motociclismo

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0