Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias. Seguir

Equipa de Miguel Oliveira perde contrato para Mundial de MotoGP: o que acontece agora aos pilotos?

CryptoDATA RNF Aprilia foi punida por inconsistências financeiras e várias quebras no "acordo de participação"

• Foto: RNF Aprilia
O anúncio do MotoGP, que esta segunda-feira decidiu deixar a CryptoDATA RNF Aprilia fora do Mundial em 2024, caiu que nem uma bomba junto dos fãs de Miguel Oliveira, mas a notícia não foi particularmente surpreendente no paddock, até porque as divergências da equipa com a Dorna já deixavam antever um cenário de rutura.

Mas há uma questão que se impõe nesta altura: que acontecerá aos dois pilotos, Miguel Oliveira e Raúl Fernández, na próxima época? Em princípio nada, uma vez que ambos têm contrato com a Aprilia até 2024.

A revista 'Speed Week' escreve que os problemas entre o CEO da CryptoDATA, Ovidiu Toma - que detém 60 por cento do capital da equipa, através da CDT SPORTS AND MEDIA SRL -, o chefe da RNF Aprilia, Razlan Razali - detentor dos outros 40 por cento - e a Dorna já eram visíveis em Doha, no GP do Qatar, há uma semana. 

Razali anunciou a saída da RNF no final do GP de Valência de ontem, mas a equipa apressou-se a emitir um comunicado garantindo que tudo estava bem. Só que inconsistências financeiras, além de várias quebras do "acordo de participação", acabaram por conduzir à decisão do Comité de Seleção de MotoGP de afastar a equipa do Mundial em 2024.

O site 'The Race' explica que essas infrações e quebras do acordo estarão relacionadas com dívidas que a equipa teria contraído no paddock esta temporada. Fala-se em centenas de milhares de euros e Razlan Razali reconheceu publicamente a falta de pagamentos.

Sem Razali são os proprietários Ovidiu Toma e Bogdan Maruntis - que negam a existência de dívidas - quem agora vai lutar contra a decisão tomada pela Dorna. O 'The Race' avança que os dois empresários romenos planeiam contestar a decisão do MotoGP em tribunal.

Novo patrocinador à vista?

Entretanto surgiram também rumores de que o milionário norte-americano Justin Marks, dono da Trackhouse Racing, que compete na NASCAR, estaria disposto a investir numa nova equipa de MotoGP independente com material Aprilia, ficando com toda a equipa técnica da RNF e o contratos da equipa italiana. A Leopard Racing também terá apresentado uma candidatura que, segundo a 'Speed Week', foi recusada pelo Comité de Seleção.  

Raul Fernández já tinha dado a entender que vinham aí novidades: "Alguma coisa pode acontecer no próximo ano. Não posso dizer nada, não sei o que está a acontecer, mas pelo que ouço da Aprilia, tenho de me manter calmo porque vem aí algo bom."

A questão é saber se Raul Fernández estará nos testes que amanhã começam em Valência e, se sim, em que garagem. Provavelmente arranjam-lhe uma vaga na da Aprilia, mas não terá a seu lado os habituais mecânicos. Ausente estará garantidamente Miguel Oliveira, que recupera de uma fratura no ombro direito, sofrida no GP do Qatar. 

Segundo o portal 'The Race' a equipa vai voltar a reunir-se para a época de 2024 assim que os contratos com a RNF expirarem. Os mecânicos e todo o pessoal de apoio, incluindo o team manager, Wilco Zeelenberg, vão passar a ser funcionários da Aprilia, até ao aparecimento do novo patrocinador e de uma nova equipa.

(Atualizada às 15h39)
Por Isabel Dantas
6
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de MotoGP

Notícias