GP de Portugal: Presidente da FIM "otimista" em relação ao desempenho de Miguel Oliveira

Jorge Viegas mostrou-se "convencido" de que Miguel Oliveira "vai fazer mais uma grande corrida"

O presidente da Federação Internacional de Motociclismo (FIM), Jorge Viegas, está "otimista" num bom desempenho do português Miguel Oliveira (KTM) no Grande Prémio de Portugal de MotoGP, no domingo.

Em declarações à agência Lusa, Jorge Viegas mostrou-se "convencido" de que Miguel Oliveira "vai fazer mais uma grande corrida", num traçado onde dominou em 22 de novembro 2020, com 'pole position', vitória e volta mais rápida.

"Estou convencido de que o Miguel vai fazer mais uma grande corrida. Só não o fez no Qatar [onde se disputaram as duas primeiras provas de 2021] porque teve um grave problema técnico. Por isso, estou otimista em relação à prova e ao Miguel", sublinhou o português, dirigente máximo do motociclismo mundial.

Quanto à prova deste fim de semana, em Portugal, que será a terceira das 19 do Mundial, Jorge Viegas realçou que "no aspeto organizativo está tudo bem".

"Vamos ter um sistema de 'bolha' sanitária, como já aconteceu no Qatar, com um controlo apertado de todas as pessoas presentes", explicou Jorge Viegas.

Por outro lado, enalteceu o facto de o Governo ter aberto "uma exceção para todos os participantes de competições profissionais internacionais que venham a Portugal, no qual se inclui o MotoGP".

Ainda assim, o presidente da FIM tem "pena que não haja público" mas mostra-se resignado quanto à decisão.

"Para haver [público] nos desportos motorizados, tinha de haver noutros desportos que, neste momento, continuam com as bancadas vazias. Percebo que não fizesse sentido abrir exceções para uns e não para outros", frisou Viegas.

Desportivamente, o presidente da FIM reconheceu ser "difícil" apontar favoritos "em qualquer uma das classes".

"Aplica-se aquela máxima de que prognósticos só no fim do jogo. É muito difícil haver qualquer favorito em qualquer uma das classes", notou, realçando a competitividade dos campeonatos.

De qualquer forma, confessou o "desejo" de, à semelhança do que aconteceu há pouco mais de quatro meses, "poder entregar a taça de vencedor a Miguel Oliveira".

"Seria uma maravilha", concluiu Jorge Viegas.

A 16.ª edição do Grande Prémio de Portugal de MotoGP vai ser disputada no Autódromo Internacional do Algarve (AIA), em Portimão, pelo segundo ano consecutivo, depois de 14 edições, entre 2010 e 2012, terem sido disputadas no autódromo do Estoril e a de 1987 no circuito de Jarama, em Espanha.

O adiamento das corridas marcadas para Argentina (11 de abril) e Estados Unidos (18 de abril), devido ao aumento de casos provocados pela pandemia do novo coronavírus, promoveu o circuito de Portimão de suplente a circuito efetivo do campeonato.

Portugal vai acolher a terceira etapa do Mundial, que arrancou em 28 de março, em Losail, no Qatar, o mesmo circuito que acolheu a segunda etapa, o GP de Doha, em 04 de abril.

Em 2020, Portimão recebeu pela primeira vez uma corrida de MotoGP, no dia 22 de novembro, quando Miguel Oliveira (KTM) arrebatou o segundo triunfo na classe rainha do motociclismo de velocidade, depois do triunfo na Estíria, na Áustria, em 23 de agosto.

Por Lusa
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de MotoGP

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.