«Lesão de Marc Márquez? É o karma: em 2015 decidiu que Rossi não devia ganhar o Mundial»

Loris Reggiani, antigo piloto italiano, teve de se redimir depois de declaração que causou polémica

• Foto: Reuters

"É o karma. Em 2015 o Marc Márquez decidiu que o Valentino Rossi não devia ganhar o Mundial e conseguiu que o perdesse. Em 2020 supunha-se que ia ganhar o título que o levaria a equilibrar as contas com o Valentino. Mas... O karma".

Estas palavras foram escritas por Loris Reggiani - antigo piloto italiano, de 61 anos -, no Facebook, dia 11 de janeiro, e já causaram grande polémica no MotoGP, depois de uma época em que Márquez não pôde competir devido a uma lesão no ombro, que o levou a três cirurgias.

A controvérsia nas redes sociais foi grande e Reggiani viu-se forçado a dar explicações. "Em retrospetiva, dei-me conta que teria sido melhor guardar aquelas palavras para mim. Era uma figura retórica, para explicar que todos colhem o que plantam. Não queria ofender ninguém, tinha isto na cabeça e disse-o. No mesmo ano em que o Márquez devia ter ganhado o seu 9.º título e alcançado o Valentino, ele lesionou-se. Pode ser uma coincidência, mas sou dos que pensam que quando fazes as coisas, seja para o bem ou para o mal, elas voltam para ti" explicou ao site 'Mow Men on Wheels'.

O antigo piloto revelou ainda que Márquez dificilmente voltará ao nível de outrora. "Penso que não voltará a ser o que era, por muito que o deseje. Uma lesão como aquela faz-te descer à terra e ele não esteve na terra por muito tempo."

A quezília de Márquez e Rossi remonta a 2015 e atingiu o seu auge com a alegada 'patada' de Rossi na moto do espanhol em plena corrida, num ano em que Jorge Lorenzo foi o campeão do Mundo.

Por Record
4
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de MotoGP

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.