Miguel Oliveira tornou-se vegetariano e tem objetivo claro para 2020

Piloto português diz-se bastante satisfeito com a progressão feita nos testes

• Foto: EPA

Um dia depois de ter dado por terminado os primeiros testes oficiais para a nova temporada, Miguel Oliveira fez um balanço daquilo que já foi feito até ao momento, numa análise na qual se mostrou globalmente satisfeito com a evolução registada. Uma evolução nos tempos e nas sensações, ainda que por agora o piloto português assuma está longe de estar a 100% na sua condição física devido à operação que fez a um ombro em novembro.

"Não quero apontar uma percentagem. Apenas posso dizer que ainda não estou a 100%. Mas estou otimista de que estarei apto para estar no Qatar e conseguirei acabar o Grande Prémio. Esse é o meu objetivo. A minha condição física já é melhor do que aquela que tinha depois de recuperar de Silverstone. Já consigo testar bem, ser constante nos tempos e não acaba o dia exausto. Isso é foi algo importante para fazer um bom trabalho aqui", assumiu o português, em declarações à alemã 'Speedweek'.

"Sinto-me muito melhor com a moto agora do que há um ano. Na altura, como rookie em Sepang, fiz apenas duas voltas abaixo dos 2 minutos em seis dias e sempre a dar tudo. Agora consigo ser constante nos 1:59. Ainda assim, o meu ombro direito, o que foi operado em novembro, causou-me problemas em todos os dias. No domingo, depois da terceira saída, já estava com a força esgotada nesse ombro. Os médicos dizem que não vou estar livre de dores pelo menos no próximo mês e meio", admitiu.

Por outro lado, Oliveira admite que a sua equipa tem sido determinante para conseguir um bom trabalho nesta pré-época. "Tentámos melhorar a forma de pilotar e de abordar as curvas e a KTM fez um trabalho muito bom nesse aspeto. O motor também me parece estar melhor. Mas temos de fazer o pacote todo funcionar ainda melhor, porque o feedback dos pilotos é muito diferente em relação ao ano passado. A KTM agora é mais fácil de pilotar, por isso tivemos de mudar as configurações. Começámos com o de 2019, não mudámos nada a princípio, mas depois percebemos que a nova moto tinha espaço para melhorar", explicou.

De olho no que aí vem, com um Grande Prémio a menos de um mês, Miguel Oliveira já tem um objetivo bem traçado. "O meu objetivo é estar o mais acima possível. Claro que gostava de ser o melhor KTM. Esse é o objetivo de qualquer piloto que luta contra outros da mesma marca. Dito isto, quero acima de tudo contribuir o máximo possível para a evolução do projeto de uma forma positiva. Dessa forma poderemos construir uma moto forte e encarar a temporada com um futuro brilhante. Espero uma época positiva em termos de resultados, mas estamos apenas no início. Prefiro manter os meus pés no chão e continuar a trabalhar".

A finalizar, o piloto de Almada revelou à publicação alemã um detalhe que até agora não era conhecido: de há algum tempo para cá assumiu uma alimentação vegetariana. Sem se alongar nesse tempo, Oliveira revelou apenas que perdeu algum peso desde então. "Já tenho menos três quilos do que no ano passado", concluiu.

Por Fábio Lima
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de MotoGP

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.