«Parece que tem gelo nas veias»: Chefe dos mecânicos da KTM deslumbrado com Miguel Oliveira

Paul Trevathan trabalhou na época passada com Pol Espargaró

Marc Márquez regressou aos triunfos no GP Alemanha, mas Miguel Oliveira é o homem de quem mais se fala por estes dias nos bastidores do MotoGP. O piloto português da KTM foi ao pódio nas últimas três corridas, somou 65 pontos e parece ter encontrado o equilíbrio certo na sua moto para se lançar rumo ao melhor resultado da carreira no Mundial deste ano.

A revista MotorSport falou com Paul Trevathan, o chefe dos mecânicos do português, que se mostra deslumbrado com as capacidades de Miguel Oliveira. "Sempre ouvimos falar de grandes pilotos que entendem as coisas mais rapidamente do outros e eu acredito que o Miguel tem essa capacidade", contou Trevathan, que na época passada trabalhou com Pol Espargaró na KTM.
 
"O Miguel pilota a moto de forma relativamente fácil, mas tem uma capacidade adicional de entender outras coisas, como a gestão dos pneus, o que deve ou não fazer a determinado momento e como se deve posicionar. Essa capacidade extra é impressionante e ele consegue usá-la", acrescentou o chefe dos mecânicos.

Tudo isto ajuda a que o português seja capaz de reagir muito rapidamente. Trevathan explica que ele consegue como que colocar-se à frente da moto. "Ele entende que se fizer isto vai ter como consequência aquilo. Tem a habilidade de perceber o que vai acontecer se colocar este ou aquele input na moto. É como quando estás a ter relações sexuais com a tua mulher - sabes em que sítios tocar. É isto que ele tem, percebe realmente como as coisas funcionam melhor do que a maioria dos outros pilotos."

Oliveira e Marc Márquez no pódio
Quando estava na perseguição a Marc Márquez, no último domingo, em Sachsenring, Miguel Oliveira praticamente não cometeu erros e tirou o melhor da sua RC16. "É tudo muito suave, quando ele estava atrás do Marc não cometeu erros. Nas últimas voltas decidiu que chegava", explicou Trevathan. "Nunca vimos uma KTM parecer tão bem na televisão. E ele esteve na televisão nas últimas três corridas... Vai até onde quer e a moto parece tão estável... Não é que tenhamos reinventado a roda, é puramente o piloto e o seu talento." 

O início da época da KTM não foi, todavia, auspicioso, pois a equipa tardou a adaptar-se aos novos pneus da Michelin. "Este desporto é assim e o que aconteceu diz muito desta equipa, conseguimos dar a volta às situações. Nada é fácil no MotoGP. O Miguel consegue juntar as coisas, ele faz perguntas, quer saber o que se passa com a eletrónica, com o chassis... Tudo isto dá-lhe vantagem."

Miguel Oliveira em prova
E no dia das provas? "Na garagem ele é tão calmo que vocês não acreditam. Parece que tem gelo nas veias. A forma como reage na pista sob pressão é a mesma que mostra na box. É tão focado e tão calmo... Quer que nós entendamos o que ele quer. Diz apenas o que pretende, ninguém pode alegar que explicou mal as coisas, é muito direto e eu gosto disso. O Miguel diz-me se as coisas estão bem ou mal, o que sente. Não preciso de uma grande história. 'Nesta curva aconteceu isto, naquela aconteceu aquilo', apenas isso. É realmente muito bom nisto."

Trevathan antevê um grande futuro para o português. "Em última análise tudo passa pela crença do piloto e vejo isso nele. Vejo-o nos seus olhos, no comportamento, na forma como anda, como fala da moto e como quer juntar as coisas. Todas as segundas-feiras parece que estou a acordar de um sonho... Eu sabia que ele tinha algo, mas o que provou em três pistas diferentes é que tem alguma coisa de impressionante. E está a ajudar o Brad [Binder] também. Vejo um Miguel super confortável, super relaxado e está a ficar cada vez mais forte."

Por Record
10
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de MotoGP

Notícias