Paulo Gonçalves termina em 5.º na etapa e desce para o 3.º posto

Espanhol Joan Barreda é o novo líder da competição nas motos

• Foto: EPA
O português Paulo Gonçalves terminou no 5.º lugar a terceira etapa do rali Dakar'2017, descendo um lugar na classificação geral, para terceiro, agora a quase 15 minutos do espanhol Joan Barreda, que dominou a jornada e é novo líder nas motos.

Piloto da Honda, tal como o português, o espanhol foi o grande vencedor da ligação entre San Miguel de Tucumán e Jujuy, na Argentina, com 780 quilómetros, dos quais 364 cronometrados, e arrebatou o comando ao australiano Toby Price (KTM), que cedeu perto de 23 minutos esta quarta-feira.

Paulo Gonçalves não comprometeu as suas aspirações de chegar ao pódio - foi o segundo da Honda na etapa - mas perdeu um lugar, já que ultrapassou Price mas foi, por outro lado, superado por Barreda e ainda Sam Sunderland (KTM), segundo no dia e segundo na geral também.

Barreda 'arrasou' a concorrência na primeira parte da etapa, de 240 quilómetros, conseguindo logo aí uma vantagem considerável sobre todos. Geriu bem a segunda parte da tirada, corrida sob chuva, para terminar em 4:22.41 horas, menos 12.29 minutos que Sunderland. Paulo Gonçalves perdeu 17.20 minutos e Price 22.51, no que foi uma jornada para esquecer para o vencedor de 2016.

Com este resultado, Barreda comanda a geral com 7:35.30 horas, seguido por Sunderland, a 11.20 minutos, e Paulo Gonçalves, a 14.42. Price é quinto, a 17.19.

O estreante Joaquim Rodrigues (Hero Speedbrain), 22.º na véspera, confirma-se como o segundo melhor português em prova: foi 18.º na etapa, o que lhe permitiu ascender ao 19.º lugar, na contabilização geral, a 44.49 minutos de Barreda.

Quanto a Hélder Rodrigues (Yamaha) continua longe do nível já alcançado (foi quinto em 2016), após ter sido 24.º no dia. Ainda assim, subiu seis posições, para 25.º, mas já a 1:01.46 do primeiro classificado.

Além da chuva, na parte final, os pilotos tiveram de contar, no plano das dificuldades, com a altitude, com grande parte da etapa acima dos 3.000 metros (incluindo o pico mais alto do rali, a 4.960) e com a passagem de cursos de água.

Quinta-feira disputa-se a terceira etapa e o Dakar chega à Bolívia. Após 521 quilómetros (426 cronometrados) desde a partida de San Salvador de Jujuy, os concorrentes chegam a Tupiza.

As dunas e a altitude - quase sempre acima dos 3.500 metros do nível do mar - podem 'complicar' a vida aos menos experientes.
Por Lusa
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Dakar'2017

Notícias

Notícias Mais Vistas