Record

Valha-nos a navegação

Elisabete Jacinto na Africa Eco Race

• Foto: Jorge Cunha
São quatro os componentes que ditam o sucesso nos ralis de todo o terreno: a condução, a navegação, o veículo e a logística.

A navegação é o elemento que permite que as equipas menos abonadas financeiramente e, portanto, com um veículo de pior qualidade e uma assistência inferior, possam por vezes, lutar por um lugar melhor. Para isso o navegador, ou navegadora, tem de ter muita qualidade e ser muito experiente porque, em África, é preciso viver-se uma variedade de situações para se atingir o nível de bom navegador.

Como instrumentos de trabalho têm o Roadbook, o conta-quilómetros, o GPS e um conjunto de lápis e canetas coloridas.
O Roadbook não é mais do que um caderninho onde constam todo o tipo de indicações necessárias para encontrar o caminho certo. As indicações são dadas em função das distâncias. Por exemplo, ao km 35 há um cruzamento de pistas e deve seguir-se em frente. Esta última indicação é dada através de um desenho. O percurso é secreto e, por isso, só à chegada de cada etapa o navegador recebe o Roadbook para o dia seguinte. Aí, ele dá-se ao trabalho de o colorir. Parece uma tarefa infantil, mas é isso que lhe vai permitir fazer uma leitura rápida da nota e dar as indicações precisas para que o piloto siga no caminho certo o mais rápido possível.

O GPS é pré programado pela organização. Todas as noites durante o briefing dão-nos o código que o permite desbloquear para o dia seguinte. Apesar de termos disponível um GPS, temos que nos orientar sozinhos com o Roadbook. Contudo, temos obrigatoriamente de passar em sítios específicos do percurso. Três quilómetros antes de cada um desses pontos o GPS, que esteve todo o tempo inativo, acorda e, através de uma seta, leva-nos até ao ponto exato no percurso registando que lá passámos. Agora pensem o que pode acontecer se passarmos ao lado desses três quilómetros? Basta que sejam meia dúzia de metros! Pois é! É um grande problema!...e por vezes acontece. É um desespero!

O Africa Race é uma prova rica em matéria de navegação. Apesar de ter um Roadbook muito bem feito, tem poucos pontos de passagem obrigatória e, de vez em quando, lá andamos "à nora" à procura do caminho. Felizmente o Zé é, o que eu considero, um bom navegador e sempre que surge alguma dificuldade encontramos rápido a solução para o problema. Para além disso é um bom companheiro o que não é uma qualidade menos importante nestas andanças.
Por Elisabete Jacinto
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Elisabete Jacinto na Africa Eco Race

Notícias

Notícias Mais Vistas

M