Nacionais de piscina curta em simultâneo com Mundiais para evitar "custos insuportáveis"

Justifica o presidente da federação portuguesa de natação

• Foto: FPN

Os Nacionais de natação em piscina curta foram realizados entre sexta-feira e este domingo no Funchal, na mesma altura em que decorrem os Mundiais, no Canadá, para evitar "custos insuportáveis", justificou o presidente da Federação portuguesa da modalidade.

"Há um conjunto de compromissos na organização de um campeonato que nós temos que precaver, como a disponibilidade das estruturas e o facto de existir um calendário internacional paralelo aos calendários nacionais", explicou à Agência Lusa António José Silva.

O presidente da Federação salientou o "compromisso" feito de realizar a prova na Madeira, que diz ter "todo o direito de receber", pela primeira vez, os Nacionais, o que também implicou uma atenção especial às despesas nas deslocações das equipas.

"Tivemos de ajustar a data dos campeonatos àquilo que seria a época mais propícia para que os custos dos clubes não fossem muito elevados. Se adiantássemos os campeonatos uma semana, iria bater numa época alta, que é a do Natal e a passagem de ano, o que tornaria insuportáveis os custos de deslocação e estadia dos clubes a nível continental", referiu.

Como tal, o segundo fim de semana de dezembro foi escolhido pela disponibilidade "hoteleira, da restauração e da estrutura", apesar do "ónus de oito dos nadadores não poderem estar presentes por estarem nos Mundiais", que decorrem em Windsor, no Canadá.

Com os nomes de peso ausentes, António José Silva salientou que isso permitiu a afirmação das "segundas escolhas", o que deu resultados gratificantes e um balanço favorável dos campeonatos Nacionais.

"(Balanço) muito positivo, resultados de muito bom nível, quer a nível de organização, que é um aspeto muito importante, mas também a nível desportivo. Temos cinco recordes nacionais, quatro femininos e um masculino", frisou.

Os quatro recordes femininos foram todos alcançados por Raquel Pereira, um nome a ter em conta no futuro, que fez as novas marcas nos 50 metros bruços e 100 estilos, hoje, nos 200 metros bruços, no sábado, e nos 100 bruços, na sexta-feira.

"É uma das futuras promessas da natação portuguesa, para colmatar uma técnica que não tínhamos em ninguém desde a Diana Gomes e a Victoria Kaminskaya. É um nome que já tínhamos em conta e já faz parte do nosso leque de nadadores selecionáveis a nível nacional", elogiou.

Com a realização dos Nacionais no Funchal, as piscinas olímpicas da Penteada deverão continuar a receber mais eventos no futuro, algo que já está a ser trabalhado, de acordo com o presidente da Federação.

"O caderno de encargos que temos vindo a discutir com a Associação de Natação da Madeira, com a Câmara Municipal do Funchal e com o Governo regional permite-nos, com alguma expectativa e grau de previsibilidade, prever a organização de outros campeonatos", afirmou António José Silva.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Natação

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.